Quique Garcia/AFP
Quique Garcia/AFP

Para Guardiola, talento do Barcelona fez a diferença no Camp Nou

Treinador não reclama de desfalques e lamenta do terceiro gol

Estadão Conteúdo

06 de maio de 2015 | 19h41

Na véspera do jogo, quando lhe perguntaram como parar Lionel Messi, Pep Guardiola respondeu com o conhecimento de causa de quem ganhou muitos jogos graças ao talento descomunal do argentino: "Se Messi está bem, não há como pará-lo". E nesta quarta-feira ele sentiu na pele o quanto é duro ter esse baixinho canhoto como adversário. "Estávamos bem até levarmos o primeiro gol, ficando com a bola e controlando o jogo. Mas o talento do Barcelona fez a diferença. E se você deixa um jogador como Messi participar muito do jogo está perdido", disse.

O treinador do Bayern de Munique não se queixou dos desfalques que debilitaram o seu ataque nem da atuação de seus jogadores. Só lamentou ter sofrido o terceiro gol nos acréscimos. "Acho que era um gol evitável, não poderíamos ter tomado aquele contra-ataque. Com 2 a 0 a situação para o jogo de volta seria uma, agora é muito mais complicada. Mas vamos tentar virar o jogo em Munique".

Nas quartas de final, a equipe goleou o Porto por 6 a 1 (5 a 0 no primeiro tempo) depois de ter perdido fora de casa por 3 a 1. O problema agora é que terá pela frente um ataque demolidor e se o time se abrir muito e levar um gol, terá de marcar cinco. "O Barcelona tem tanto talento que cria espaços do nada. Nossa missão no jogo de volta será muito difícil".

No lado do time espanhol, o técnico Luis Enrique saboreava o resultado e a atuação do time. "Jogamos muito bem e conseguimos um resultado perfeito. Mas teremos de confirmar a classificação na Alemanha e não tenho dúvida de que será um jogo duríssimo".

Neymar, que chegou a sete gols na competição, garante que o time vai entrar em campo em Munique como se não tivesse uma vantagem tão grande. "Vamos jogar como se fosse a última partida de nossas vidas. Estamos a 90 minutos da final e lutaremos muito para não deixar a vaga escapar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.