Para Joachim Löw, o importante foi ter vencido a Argélia

O treinador elogiou o time argelino, e tentou se justificar dizendo que todas as seleções estão tendo dificuldades nesse Mundial

Mateus Silva Alves - enviado especial a Porto Alegre, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2014 | 21h09

A Alemanha não jogou nada bem contra a Argélia e Joachim Löw é o primeiro a admitir isso. Mas o treinador da seleção tricampeã do mundo não está menos feliz com a classificação para as quartas de final da Copa por causa do mau futebol de sua equipe. Na hora do aperto, Löw tirou da cartola aquele velho argumento de que, em um Mundial, mais vale vencer do que exibir um jogo vistoso.

"Eu sei que não jogamos um futebol fantástico, mas vencemos e isso é o mais importante", afirmou o treinador da Alemanha. "Numa Copa do Mundo, não se deve exigir das equipes que mostrem um futebol fantástico. Nem todas as seleções vão dar espetáculo em todas as partidas."

Löw admitiu que sua equipe perdeu a bola com muita frequência no primeiro tempo e que esse defeito favoreceu os rápidos contra-ataques da Argélia. Mas o treinador fez um esforço para também destacar o que ele viu de bom no desempenho da Alemanha em Porto Alegre. "O que é positivo é que nós melhoramos muito no segundo tempo", disse ele. "Criamos muitas oportunidades de gol, tanto que o goleiro da Argélia fez uma atuação inacreditável."

Embora muitos torcedores alemães - e fanáticos por futebol de todas as partes do mundo - tenham ficado espantados com o sufoco que a Alemanha passou no jogo contra os argelinos, Löw não se disse surpreso com o que ocorreu no gramado do Beira-Rio. Em primeiro lugar, segundo ele, porque o time da Argélia tem muita qualidade. E, em segundo lugar, porque o Mundial tem sido difícil para todas as seleções.

"Eu já sabia que o time da Argélia luta muito e é muito bom nos contra-ataques, para mim não foi surpresa alguma", falou o treinador. "Além disso, todos os times que chegam às oitavas de final são bons e estão com a motivação lá no alto. O Brasil, por exemplo, precisou ir até o último pênalti para se classificar. Acredito que isso é normal em uma Copa do Mundo."

Löw disse que dará a seus jogadores dois dias para se recuperar de uma batalha muito dura. Contra a França, nas quartas, na sexta-feira, no Maracanã, ele deverá contar com o zagueiro Hummels, que não jogou diante da Argélia por estar gripado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.