Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Para Joel, Botafogo teve 'supremacia'

'Jogamos como clube grande, que pretende ganhar o título. Não é fácil ganhar assim', diz técnico

AE, Agência Estado

07 de fevereiro de 2011 | 11h40

RIO - Apesar de o Botafogo ter vencido o Fluminense por 3 a 2, em um clássico cheio de emoções, no último domingo, no Engenhão, o técnico Joel Santana acredita que o seu time foi muito superior ao adversário. Com a vitória, o time alvinegro assumiu a liderança isolada do Grupo B da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, deixando o rival na segunda posição da chave.

"O Botafogo jogou como clube grande, que pretende ganhar o título. Não é fácil ganhar assim do campeão brasileiro, com essa supremacia. Eles têm o melhor time do Brasil. Hoje (domingo), não falhamos tanto quanto contra o Bangu", afirmou o treinador, em entrevista coletiva, comentando o fato de o clube ter apenas empatado por 1 a 1 com o Bangu, na rodada anterior da competição.

"O futebol tem mistérios difíceis de explicar. Por que o time jogou mal contra o Bangu? Não sei explicar. Hoje (domingo), o time todo jogou bem. O conjunto da equipe voltou a ser aquele que fez o Glorioso ser campeão e lutar por vaga na Libertadores. Isso é que fez diferença. Saímos vitoriosos sem deixar dúvida", reforçou Joel Santana.

O treinador, porém, alertou que o time botafoguense precisa evoluir muito para ter chances de ser campeão da Taça Guanabara. "A equipe toda foi muito bem. Para o primeiro clássico, fomos muito bem, mas ainda falta muita coisa. Precisamos ser mais equilibrados. Por exemplo, demos uma destemperada e saímos perdendo o primeiro tempo no qual éramos melhores do que o adversário", analisou.

Joel ainda mostrou bom humor ao comentar o fato de Loco Abreu ter batido dois pênaltis usando a sempre arriscada cavadinha, sendo o segundo depois de desperdiçar a primeira cobrança, agarrada sem dificuldades pelo goleiro Diego Cavalieri. "Por isso que ele é (chamado de) Loco! Nunca sabemos o que se passa na cabeça dele. Mas dificilmente erra pênalti. Tem um domínio até na hora da batida. É uma situação do futebol perder, todo mundo perde. De qualquer maneira, foi lá e meteu outro. Pênalti não parece, mas há uma responsabilidade muito grande. Um jogador como ele não erra duas vezes", disse.

E, se Joel não economizou elogios ao seu time, os jogadores do Botafogo ficaram eufóricos com a importante vitória conquistada neste domingo. Entre eles, o goleiro Jefferson, decisivo com pelo menos três grandes defesas, teve vários motivos para sair de campo comemorando. "Fico feliz pelo momento que estamos passando e pelo trabalho bem feito pelo Flávio Tenius (preparador de goleiros). É importante seguir vencendo para chegar à Seleção. O que fez a diferença foi que mantivemos a tranquilidade quando fomos exigidos. Para mim, a defesa mais difícil foi a da cabeçada do Araújo, que poderia mudar o resultado", disse Jefferson.

O atacante Herrera, autor do gol que decretou a vitória por 3 a 2, destacou a importância de se bater um rival como o Fluminense, o atual campeão brasileiro. "É importante vencer um clássico desses, um jogo que gostamos de jogar. Queríamos vencer para assumir o primeiro lugar. Agora, temos outro jogo difícil (contra o Macaé, no próximo domingo), tomara que possamos vencer para continuar sonhando com o bi", exaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.