Miguel Medina/France Presse
Miguel Medina/France Presse

Para jogadores, vitória sobre a França marca evolução da seleção

Jefferson, Luiz Gustavo e Willian consideram time no caminho certo

O Estado de S.Paulo, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 19h45

O Brasil venceu a França por 3 a 1, mas um dos protagonistas da equipe foi o goleiro Jefferson. Nos momentos em que o time anfitrião chegou com perigo, ele apareceu com pelo menos três ótimas defesas - a primeira quando a partida estava 0 a 0, pegando uma cabeçada de Benzema na pequena área. Com tranquilidade e segurança, foi fundamental para a primeira vitória brasileira sobre os franceses no Stade de France.

Jefferson tem sido o goleiro preferido de Dunga. Sabe que está com moral, mas não se considera ainda titular. E entende que o mais importante neste momento é que a seleção está conquistando as vitórias (a desta quinta-feira foi a sétima em sete jogos sob o comando de Dunga). "É importante para um goleiro essa sequência, para ter confiança. Mas ou mais importante é que a seleção está vencendo, jogando bem e a gente está construindo uma bela história.''

O volante Luiz Gustavo segue o mesmo raciocínio. Ele fez o terceiro gol da seleção, reconheceu ter ficado feliz, mas exaltou o trabalho que o grupo vem fazendo. "A felicidade maior é que nós estamos evoluindo, fazendo um caminho excelente. Com dificuldade, com a de hoje, pois a França tem uma excelente equipe, mas fizemos um bom trabalho e estamos evoluindo. Esse é o principal objetivo.''

Para ele, a partida do próximo domingo contra o Chile, em Londres, poderá ser ainda mais complicado do que o jogo com os franceses. "O Chile a gente já conhece bem, com certeza é mais um jogo difícil pela frente. Vamos ter de estar preparados.''

O meia Willian entende que contra o Chile a seleção brasileira "tem de procurar jogar melhor'' do que contra a França. "Domingo a gente tem de fazer o que vem fazendo ainda melhor.''  Sobre a vitória contra os franceses, ele destacou: "Ganhamos com personalidade. Desde o início nossa proposta era jogar futebol e foi o que fizemos. Tomamos o gol, mas continuamos tocando bem a bola'', analisou. "O time jogou muito bem, é esse o caminho.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.