Para Kaká, Ronaldinho causa dúvida tática no Milan

Brasileiro diz que time tem dificuldades para se adaptar às mudanças feitas com a chegada do compatriota

Paul Virgo, Reuters

06 de dezembro de 2008 | 12h05

O meia Kaká disse neste sábado que o Milan está tendo dificuldades para se adaptar às mudanças táticas feitas com a chegada de Ronaldinho Gaúcho ao time. O ex-jogador do Barcelona se transferiu para o heptacampeão europeu no final da temporada passada e já marcou sete gols no Campeonato Italiano. Veja também:Ronaldinho Gaúcho se lesiona e Milan terá 8 desfalquesKaká confessa que mudou seu estilo por Ronaldinho Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão  O Milan não vence há quatro jogos em todas as competições que está disputando atualmente e Kaká tem sido menos efetivo no ataque do que de costume, em parte porque ele tem sido solicitado para ajudar na defesa mais do que o habitual. "Ronaldinho se adaptou muito bem e tem nos ajudado bastante, mas antes estávamos acostumados com jogadas e movimentações que aconteciam naturalmente, consolidadas ao longo dos anos", declarou Kaká ao jornal La Gazzetta dello Sport. "Antes, eu e Clarence (Seedorf) jogávamos atrás de um atacante, normalmente (Filippo) Inzaghi. Com Ronaldinho, o time teve que mudar sua maneira de jogar e nós temos que nos acostumar com isso para termos os mesmos movimentos automáticos com ele. Nós jogamos juntos na seleção brasileira, mas não é a mesma coisa. É apenas uma questão de entendermos o que está faltando."O craque disse que houve momentos que teve de "se sacrificar" pelo time. "Estou tentando me adaptar taticamente, porque freqüentemente me pego jogando perto dos meio-campistas", explicou o brasileiro. "Eu gostaria de jogar mais perto dos atacantes, mas entendo as necessidades do time. O fato é que as pessoas esperam algo diferente de mim, assistências e gols, e se não consigo fazer isso acabo sendo criticado." Kaká também está ansioso com a chegada do inglês David Beckham, que foi emprestado ao Milan pelo LA Galaxy. "Ele irá nos ajudar em nossos objetivos para a temporada", afirmou o brasileiro. "Então, talvez ele se apaixone pelo Milan e permaneça aqui por muitos anos em vez de apenas dois meses."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.