Para Lopes, temporada será duríssima

A chegada de Vanderlei Luxemburgo no Santos não preocupa o técnico Antônio Lopes, do Corinthians, mas dá a ele a certeza de que a temporada 2006 do futebol brasileiro será muito mais competitiva. O comandante corintiano passa férias no Rio, mas não consegue se desligar do trabalho. Seu telefone não tocou duas vezes no contato feito pela Agência Estado. Lopes está atento às coisas do time e fala diariamente com o diretor da MSI, Paulo Angioni, de quem espera notícias em relação a reforços. Falou ao celular, do seu carro, ?num trânsito infernal na Lagoa Rodrigo de Freitas?: ?A briga vai ser boa em 2006. E isso é bom, valoriza as competições e seus profissionais. O Luxemburgo é bom treinador e o Santos estará certamente mais forte. Clubes como Corinthians, Santos, Inter, Fluminense estão se ajeitando em campo e em suas comissões técnicas, e isso valoriza a disputa?, disse Lopes, lamentando a perda de Fábio Costa. O goleiro se acertou com o Santos. Mas até esta quarta-feira o técnico corintiano não tinha a confirmação com todas as letras da saída do seu goleiro. ?Havia uma pequena esperança de que ficasse, embora a tendência passada pela MSI era a de ele ir mesmo para o Santos. É pena. Temos de pensar em alguém para a posição?. Marcelo, o reserva de Fábio Costa na Fazendinha, agrada ao treinador. ?Todas as vezes que entrou no time, foi bem?. Lopes sempre defendeu atletas experientes para disputar uma Libertadores e não descarta a possibilidade de buscar no mercado um camisa 1 mais tarimbado. Só não quis revelar nomes. Fábio, do Cruzeiro, está na lista. O planejamento segue o desenhado pelo chefe. Em 3 e 4 de janeiro, o grupo faz exames médicos em São Paulo e segue para Monte Sião (MG). Realiza pré-temporada em meio ao Paulistão. Estréia no dia 11 contra o Noroeste e volta para o retiro de mais dez dias, em Atibaia. Lopes recusou-se a falar do acerto do meia Ricardinho com o Corinthians. Seria um belo troco no Santos pela contratação de Fábio Costa. A MSI não economizaria dólares de seus investidores para ter o atleta da seleção. ?Não gosto de comentar sobre contratações que ainda não ocorreram. Estamos aguardando?, disse Lopes, agora apressado para recuperar o tempo perdido no trânsito e preocupado em falar ao celular perto de um guarda. Ricardinho passa férias em Minas Gerais com a família. Entregou as negociações do seu novo contrato ao procurador Marcel Figer. O atleta estaria disposto a fazer parte da empreitada corintiana atrás de sua primeira Libertadores da América e deve dizer sim em 24 horas. Pela proximidade da Copa do Mundo da Alemanha, só não queria agora voltar a atuar no exterior. Teme não se adaptar e ser esquecido pelo técnico Parreira.

Agencia Estado,

21 de dezembro de 2005 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.