Para Luxemburgo, faltou competência ao Santos

Técnico reclama da ineficiência do meio-campo após as saídas de Zé Roberto e Cléber Santana para a Europa

Sanches Filho, especial para o Estadão,

28 de julho de 2007 | 21h31

Vanderlei Luxemburgo disse que faltou competência ao Santos para ganhar do Náutico, na noite deste sábado, na Vila Belmiro. Para o técnico, o jogo teve um lado bom do ponto de vista santista: a presença da torcida - compareceram 8.321 pagantes - que apoiou o time até o fim. "A equipe como um todo não jogou bem. O Náutico é um time forte fisicamente, marcou bem e contra-atacou com inteligência", sintetizou o treinador.Segundo Luxemburgo, a equipe da Baixada Santista sofre agora com problemas no meio-de-campo - antes, ele reclamava da falta de uma referência no frente, mas a contratação de Kléber Santana sanou a falta de um matador. "Perdemos alguns jogadores importantes como o Zé Roberto e o Cléber Santana [que se transferiram para a Europa] e também o Maldonado [lesionado], que são atletas que eram a base da equipe. Isso faz uma diferença. Hoje temos o Kléber Pereira no ataque, mas não estamos com o mesmo potencial que tínhamos no meio-campo anteriormente", declarou Luxemburgo.Maldonado sofreu uma lesão no músculo adutor da coxa contra o Corinthians, no dia 3 do mês passado, retornou antes do tempo e agravou a contusão, provocando até o seu corte na seleção chilena que disputou a Copa América. O volante voltou na goleada por 4 a 1 contra o Cruzeiro, e foi dos principais jogadores em campo, porém, na partida seguinte, contra o Botafogo, na Vila Belmiro, sentiu outra vez a lesão. Segundo Luxemburgo, o chileno vai ficar pelo menos mais 15 dias em tratamento médico.A terceira derrota santista em casa no Nacional também deixou os jogadores em dificuldade na hora de explicar o que se passou no jogo contra o até então lanterna da competição, que ficou com um jogador a menos nos 20 minutos finais, em razão da expulsão de Ferreira. "O importante é que o time está criando. Falta apenas um detalhezinho, que é enfiar a bola no gol", disse Rodrigo Tabata, que começou bem, mas caiu de produção no segundo tempo e voltou a ser vaiado por parte da torcida.Kléber Pereira, autor do gol santista, saiu de campo insatisfeito. "Com todo o respeito, o Santos não pode perder de um time como o Náutico." O atacante reconheceu que o setor da equipe que mais falhou foi o ataque, que errou demais nas finalizações. "Realmente a bola chegou ao ataque, mas o campo estava muito pesado por causa chuva e beneficiou o Náutico."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.