Jon Super/AP
Jon Super/AP

Para Mancini, Balotelli pode ser como Cristiano e Messi

'É um garoto fantástico. Ele tem tudo para ser um dos melhores jogadores do mundo'

AE, Agência Estado

20 de novembro de 2012 | 15h33

MANCHESTER - Se tivesse direito a votar na eleição da Bola de Ouro, o técnico do Manchester City, Roberto Mancini, daria seu voto de melhor do mundo em 2012 para Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, seu adversário desta quarta-feira na Liga dos Campeões. O treinador acredita que o português e Messi estão em outro patamar no futebol mundial, mas aponta que Balotelli tem condições de se igualar a eles.

Em entrevista coletiva nesta terça, Mancini criticou o temperamento do seu compatriota, reforçando todo o potencial do atacante. "Mario (Balotelli) é um garoto fantástico e às vezes ele não entende qual é seu trabalho e como o trabalho é importante para a sua vida. Como jogador ele pode ser como Cristiano ou Messi. Ele tem tudo para ser um dos melhores jogadores do mundo", comentou o treinador.

Mancini vai poder acompanhar de perto o seu melhor do mundo nesta quarta, em Manchester, no confronto contra o Real. E sabe todo o perigo que irá enfrentar. "Não só amanhã (quarta), Ronaldo é decisivo em cada partida. Temos que ter muita atenção sobre ele, mas não apenas ele, ainda que ele possa fazer a diferença, mudar a partida sozinho", comentou o italiano.

Para continuar sonhando com a classificação à próxima fase da Liga dos Campeões, o City tem a obrigação de vencer o Real Madrid, mas Mancini não acredita na vaga, uma vez que o time espanhol teria que perder para o Ajax, em casa, na última rodada, e os ingleses vencerem o Borussia Dortmund na Alemanha.

"Estamos obrigados a ganhar. Queremos nos classificar, ainda que eu não creia que o Real não ganhe do Ajax em casa. Era um grupo muito difícil e, para nós, é ainda mais agora, porque cometemos erros nas primeiras partidas", lamentou Mancini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.