Para Maniche, jogo contra a Holanda não foi violento

Autor do gol único da partida e escolhido pela Fifa como o melhor jogador em campo, o volante Maniche disse que não achou o jogo tão violento, apesar dos 12 cartões amarelos e das quatro expulsões na vitória de Portugal por 1 a 0 sobre a Holanda, neste domingo, em Nuremberg. O jogador culpou o árbitro russo Valentin Ivanov pelo recorde de expulsões no jogo, que já está sendo chamado de "A Batalha de Nuremberg". "O árbitro não contribuiu para a qualidade do jogo. Não achei que a partida tenha sido tão violenta quanto ele fez parecer."No entanto, o técnico de Portugal, o brasileiro Luiz Felipe Scolari, disse que achou a partida violenta. "O jogo de hoje (domingo) foi parecido com uma guerra. A Fifa fala em Fair Play, mas isto não aconteceu em campo."Este Mundial já superou o recorde de expulsões da Copa de 2002, com 23 cartões vermelhos mostrados até o momento, faltando ainda 12 jogos para o final.Sobre o jogo, Maniche contrariou a crença de que o grupo seria desunido. "Acho que vencemos por causa de nosso grupo, com jogadores talentosos, união e amizade. Todos estávamos buscando a vitória e este foi o segredo da conquista de Portugal." Já o meia Figo ressaltou as dificuldades da partida, mas seguiu o pensamento de Maniche. "Este foi um jogo extremamente difícil. Estávamos bem no primeiro tempo, mas depois que ficamos com apenas nove jogadores em campo, tivemos que trabalhar mais. O time está de parabéns por mostrar o seu caráter. Desde o começo da Copa nossa maior força tem sido a união e o apoio de nosso país."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.