Para Marcos, "é como se fosse a 1ª vez"

Mesmo fazendo parte da equipe que conquistou o pentacampeonato na Copa de 2002, o goleiro Marcos adotou postura humilde em relação à sua convocação para a seleção brasileira. "É como se fosse minha primeira vez", disse o jogador, que agradeceu ao técnico Carlos Alberto Parreira pela oportunidade de defender o Brasil nas Eliminatórias para o Mundial de 2006. "Hoje é aniversário do Palmeiras e fui eu quem recebeu o presente."Marcos confessou ansiedade antes da divulgação da lista pelo técnico Carlos Alberto Parreira, nesta terça-feira, ao mesmo tempo que se disse preparado para a possibilidade de ficar no banco, uma vez que Dida foi o titular de Parreira nos últimos amistosos. Sobre a disputa de posição, o goleiro do Palmeiras acredita que ela será leal, como sempre."Acho que minha única vantagem é o fato de Dida estar em fase de pré-temporada enquanto estou jogando", avaliou Marcos. Ao comparar-se com o goleiro do Milan, o jogador ressaltou que o companheiro "é mais alto e mais calmo, enquanto eu sou mais emoção". Marcos também ressaltou que a convocação não teve apenas um efeito de motivação individual. "Isso anima muita gente porque prova que a comissão técnica da seleção também está olhando para a segunda divisão", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.