Para Marcos, Palmeiras foi tão brilhante como no domingo

?É muito sofrimento.? Essa frase foi repetida várias vezes por Marcos durante a derrota por 2 a 1 para o Noroeste, nesta quarta-feira, no Palestra Itália. O lamento foi ouvido por repórteres de rádio, atrás do gol. Marcos falava sozinho, em sua área, lamentando a sina do Palmeiras como mandante - a última vitória em casa foi em 25 de janeiro.?Não podemos tirar os méritos do Noroeste, um grande time, que fez o que todos os outros fazem aqui no Palestra: veio fechadinho, saindo nos contra-ataques?, disse Marcos. ?O Palmeiras foi bem, foi brilhante como no domingo [quando fez 3 a 0 Corinthians], mas não fizemos os gols. Foram muitas falhas de finalização?, emendou o goleiro.Apesar da derrota, o Palmeiras saiu aplaudido de campo. Com os resultados da rodada desta quarta, o time entraria na zona de classificação se vencesse o Noroeste. Com a derrota, ficou em situação difícil. ?Agora é começar a torcer contra os outros?, lamentou Marcos.Para o goleiro, o segundo gol do Noroeste, um minuto após o empate, matou a reação palmeirense. No lance, David afastou mal e Otacílio Neto aproveitou. ?Faltou experiência, faltou jogar feio. Tinha que dar um bico?, disse Marcos.O goleiro já havia se irritado na etapa inicial. Após o gol contra de David, o primeiro do Noroeste, Marcos foi tirar satisfações com o atacante Leandrinho, que comemorou com uma dança exótica. O goleiro chegou a dar um empurrão no jogador do Noroeste. ?Rebolar na frente da torcida não vai acrescentar nada ao futebol?, disse Marcos. ?Foi uma comemoração normal?, defendeu-se Leandrinho. ?Outro dia o Alemão dançou aí [contra o São Caetano] e ninguém falou nada?, emendou o jogador do Noroeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.