Para Mineiro, a missão mais ingrata

Dos titulares do São Paulo, apenas o calado volante Mineiro ainda está sem marcar gols nesta temporada. O máximo que conseguiu foi carimbar a trave contra a Portuguesa Santista (5 a 0), no Paulistão. Nem por isso é menos importante que os outros companheiros. Nesta quarta-feira, podemos dizer, terá até missão mais ingrata no jogo contra o Palmeiras, pela Libertadores. Ele será o responsável por acompanhar de perto o ex-companheiro de São Caetano, o meia Marcinho. "Não me lembro de tê-lo enfrentado, mas sei que será muito difícil", afirmou Mineiro, ao falar sobre Marcinho. "Ele é um cara de muita qualidade."Mineiro não só enfrentou a atual estrela palmeirense, como, quem diria, marcou gol, fato raro na carreira. Em 2002, quando estava em alta na Ponte Preta e sondado por todos os clubes grandes de São Paulo, o volante anotou no empate por 1 a 1 diante do Paulista. Na época, Marcinho ainda era uma jovem promessa.Mas hoje a coisa é diferente. Em alta, Marcinho até já foi convocado para a seleção brasileira. Disputou o jogo de despedida de Romário: 3 a 0 diante da Guatemala. Mineiro vai estar grudado dele. Até quando o meia do Palmeiras for à beira do campo receber orientações ou beber água. A tática, ou conselho a Mineiro, foi revelada por Alê. "Ano passado, foi muito complicado marcá-lo. O cara se movimenta bastante", advertiu o volante do São Paulo. Então, o que o Mineiro terá de fazer? "Tem de colar nele, senão..."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.