Para Moracy, Brasil não sentiu cansaço

Moracy Sant?Anna, preparador físico da Seleção Brasileira, garantiu hoje que a derrota para o México não pode ser atribuída ao cansaço dos jogadores. Na sua avaliação, o time ficou mais de posse de bola e não teve quer correr muito atrás dos mexicanos, fonte de um possível desgaste. "Fisicamente, em se tratando de um grupo de jogadores que está em final de temporada, a equipe suportou bem. É claro que na partida contra a Grécia, o desgaste foi bem menor porque abrimos três gols e o time se poupou." Para defender a tese de que a Seleção passou o jogo de hoje em Hannover sem muitos problemas físicos, Moracy apresentou as estatísticas que colheu no seu computador. "Se você considerar o tempo de jogo com a bola rolando, o Brasil teve a posse de bola por 16 minutos contra 11 do México no primeiro tempo. No segundo, teve 17 minutos de posse contra apenas 10 dos mexicanos. Isso comprova que não houve tanto desgaste assim. Estivemos com a bola mais tempo do que eles." O problema, argumenta Moracy, foi a dura marcação dos mexicanos depois que converteram o gol. "Eles se fecharam com uma barreira de nove jogadores, às vezes tinham até dez lá atrás. Essa postura complicou a Seleção." Hoje, o preparador físico avalia os jogadores ao lado do médico José Luís Runco. E depois passa o relatório ao técnico Carlos Alberto Parreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.