Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Para Muricy, São Paulo já apresenta melhora no futebol

Técnico acredita que time diminui a diferença técnica para o Cruzeiro, próximo adversário na Libertadores

Redação - estadao.com.br,

24 de maio de 2009 | 19h15

Se o São Paulo ainda não rendeu o esperado na atual temporada, Muricy Ramalho aponta, ao menos, uma sensível melhora, depois do empate sem gols com o Palmeiras, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O time segue sem vencer na competição, com dois pontos somados. Pela Copa Libertadores, já se prepara para o confronto desta quarta-feira, 27, com o Cruzeiro, válido pelas quartas de final.

 

Veja também:

especial Visite o canal especial do Brasileirão

especial Jogue o Desafio dos Craques

tabela Brasileirão Série A - Classificação e Calendário

tabela Copa Libertadores - Classificação e Calendário 

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Desde o início do ano, Muricy vem falando que o Cruzeiro, justamente o próximo adversário, vem jogando o melhor futebol do País. Mas, pelo apresentado neste domingo, no Palestra Itália, seu time conseguiu diminuir a diferança técnica que separava os dois times.

"O cruzeiro continua jogando o melhor futebol do Brasil", afirmou, categoricamente. "Mas eles já viram um São Paulo melhor hoje [domingo]. Claro que devemos crescer mais ainda, jogamos bem", completou Muricy.

Para este confronto, o comandante são-paulino espera contar com a volta do zagueiro Renato Silva (com dores na coxa), do volante Jean (afastado por dores nas costas) e do atacante Borges (poupado por ter levado uma pancada na cabeça).

Ausência mais sentida na extensa lista de desfalques, o capitão Rogério Ceni segue em tratamento e precisa de, pelo menos, mais três meses de recuperação. Bosco, seu substituto imediato, sofreu uma entorse no joelho e pode ficar de fora de mais este jogo, já que não enfrentou o Palmeiras.

Quem deu conta do recado no clássico e vem transmitindo confiança a Muricy é o goleiro Dênis. Em seu segundo jogo pelo São Paulo, ele agradou o técnico com as boas defesas que fez, garantindo o resultado. Apesar dos elogios, ele não prefere preservar o jovem de 22 anos.

"Temos que ter calma com os jogadores. Não sou garoto no futebol, tenho que esperar um tempo e deixar o Denis desenvolver o trabalho dele", disse. "Ele mostrou uma coisa fundamental: a personalidade. Quando a defesa olha para trás e tem confiança é muito bom para toda a equipe", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.