Para Nelsinho, Corinthians foi rebaixado em casa

Segundo treinador, derrotas diante de Vasco e Sport, no Pacaembu, foram essenciais para o rebaixamento

02 de dezembro de 2007 | 19h42

Para o técnico Nelsinho Baptista, o resultado que jogou o Corinthians na Série B do Campeonato Brasileiro não foi o empate com o Grêmio, neste domingo, mas sim os jogos ruins dentro do Pacaembu. "Perdemos seis pontos em casa nos últimos jogos - contra o Vasco e o Sport - e foi isto o que ajudou a nos afundar."  Veja também: Corinthians empata com o Grêmio e é rebaixado para a Série B O contraste do Corinthians campeão e do agora rebaixado O dia de sofrimento e da queda corintiana Além disto, o treinador criticou a falta de definição dos atacantes. "Acho que a perda dos pontos em casa foi essencial para o rebaixamento. Não é questão de culpa deste ou daquele jogador. Foi só uma questão de não aproveitar as chances criadas", disse Nelsinho. "O que faltou em muitos jogos foi a definição da jogada. No jogo contra o Vasco, apesar de criarmos as chances de gol, não fizemos." O treinador evitou apontar culpados pelo rebaixamento. "Também não dá para reclamar dos jogadores. Eles foram colocados nesta situação e fizeram tudo o que foi possível." Visivelmente irritado com as perguntas sobre o rebaixamento, Nelsinho tentou falar apenas do jogo contra o Grêmio. "Eu gostaria que vocês me perguntassem sobre o jogo, não posso responder sobre estas coisas extra-campo", disse. "O Corinthians teve a chance de se livrar do rebaixamento neste jogo, se tivéssemos marcado o segundo gol, e vencido o jogo, não dependeríamos de mais nada. Mas tomamos o gol muito cedo e isto nos prejudicou." Com contrato apenas até o final deste ano, Nelsinho não confirmou se fica ou não no Corinthians para a disputa da Série B. "Vamos deixar o tempo passar e resolver o que vamos fazer no futuro. No que o presidente precisar de mim, enquanto eu estiver sob contrato, vou estar a disposição", disse o treinador. "Agora o momento é de pensar no futuro. Houve muitos outros times que caíram e voltaram rápido à primeira divisão." Nenhum dos jogadores corintianos quis participar da entrevista coletiva. Todos embarcaram no ônibus da delegação por volta das 19h40, em direção ao aeroporto de Porto Alegre e, de lá, rumo à São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série ACorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.