Para Nelsinho, Ponte merece respeito

Ninguém se atreve a dizer quem vai ganhar. Muito menos se vai, de fato, existir um vencedor. O que todos no São Paulo estão convencidos é de que a partida deste domingo, às 16 horas, no Morumbi, diante da Ponte Preta, pelo Torneio Rio-São Paulo, será um grande jogo. A certeza é tanta que, na opinião do técnico Nelsinho Baptista, o confronto já se transformou no mais novo clássico do futebol paulista. "Pelo que a Ponte vem fazendo nos últimos anos, já deixou de ser uma partida entre um clube grande e um pequeno. Pode ser considerado um clássico."O atacante França concordou com o treinador e citou exemplos para justificar seu ponto de vista. Segundo o artilheiro, a principal característica dos últimos encontros entre os dois times tem sido o grande número de gols. "Me lembro claramente dos 4 a 1 no Campeonato Brasileiro. Nós vencemos, mas tomamos um sufoco danado no começo", recordou. "Ainda tivemos um 4 a 3, outro 3 a 2. Enfim, são duas equipes que jogam para frente."A novidade no São Paulo (6.º colocado com 11 pontos), além da volta de Maldonado ao meio-campo depois de cumprir suspensão automática na vitória sobre o Treze, pela Copa do Brasil, pode ser a escalação de Reinaldo no ataque, ao lado de França. "Já tenho a escalação definida na minha cabeça. Mas como o Vadão (técnico da Ponte) disse que só vai anunciar no vestiário, vamos fazer a mesma coisa", explicou Nelsinho.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2002 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.