Para o Guarani é matar ou morrer

Na reta final do Campeonato Brasileiro, o Guarani entra em campo diante do Paysandu, neste sábado, às 16 horas, no Mangueirão, não podendo perder. Uma derrota vai decretar seu rebaixamento no Campeonato Brasileiro com uma rodada de antecedência. Mais do que nunca será um jogo de "matar ou morrer".O Guarani é vice-lanterna, com 46 pontos, precisa vencer para levar à última rodada suas esperanças de se manter na elite nacional. O time campineiro vai encerrar a temporada em casa diante do já rebaixado Grêmio. Além de vencer estes dois jogos para chegar aos 52 pontos, o Guarani ainda terá que torcer por tropeços de seus concorrentes diretos na luta contra a Série B.Mas este jogo também será decisivo para o Paysandu, 18º colocado, com 50 pontos, e que tem a chance diante de sua torcida de se livrar de vez do descenso. Caso vença, não dependerá da última rodada, quando vai enfrentar o Juventude, em Caxias do Sul-RS.Mesmo tendo o pior ataque da competição, com 39 gols, o Guarani promete ter atitude, segundo o técnico Jair Picerni. Isso significa que pretende atacar, mesmo jogando na casa do adversário. "Não temos outra saída. Precisamos ir para cima, buscar os gols e tentar a vitória", diz o técnico, que está em alta no Brinco de Ouro. Ele conseguiu 55% de aproveitamento em nove jogos, superando em muito seus quatro antecessores: Joel Santana, Zetti, Lori Sandri e Agnaldo Liz.O técnico bugrino parece confiar no grupo, rejuvenescido após o afastamento de nove jogadores, entre eles o veterano Viola, de 35 anos, ainda artilheiro na competição, com 10 gols. A única mudança em relação ao time que venceu o Figueirense, por 2 a 1, d e virada, é a entrada do centroavante Evandro Roncatto, de 18 anos, no lugar de Léo. A volta de Roncatto já era esperada, uma vez que ele era titular e só estava de fora cumprindo suspensão por cartões amarelos.O time continuará no esquema 4-3-3, com uma variação para o 4-4-2. O meia Simão continuará improvisado na lateral direita e Sandro Hiroshi ficará posicionado mais no meio campo. O rápido Catatau, de 17 anos, continua sendo a opção de contra-ataque.Existe uma preocupação da comissão técnica com relação ao calor e a umidade da capital paraense. O desgaste natural provocado pela longa viagem foi atenuado pela antecipação da mesma para quinta-feira. O elenco treinou nesta sexta-feira no Baenão, estádio do Remo, rival do Papão. Foi apenas um treino recreativo, o aperitivo antes da guerra deste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.