Para o Marília, só resta 2005

O Marília não conseguiu se despedir do Campeonato Brasileiro como pretendia. O time já estava sem chances de chegar ao quadrangular final, mas no sábado, em Salvador, acabou goleado pelo Bahia, por 4 a 1. Mas a ordem da diretoria e, principalmente, do técnico Luís Carlos Martins é levantar a cabeça e pensar em 2005. "Faço um balanço positivo. Assumi o clube em 19º lugar, portanto, ameaçado pelo rebaixamento e o deixei entre os oito melhores times da Série B. Andamos bem e se não tivéssemos nos desgastado tanto na recuperação, com certeza, faríamos outro papel nesta segunda fase", avalia o técnico. A diretoria promete uma semana agitada. O presidente José Roberto Mayo e Luizinho Cai-Cai, presidente da American Sports, empresa que administra o futebol do clube, garantem que formarão um time forte para o Campeonato Paulista, que começa dia 19 de janeiro. O elenco passará por uma reformulação. "Mas as mudanças são comuns em final de temporada", alerta Beto Mayo, preocupado em não deixar ninguém desesperado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.