Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Para o Santos, é hora de reabilitação

A nove rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, capacidade técnica, táticas e estratégias de jogo não são mais a prioridade no Santos. A observação partiu do treinador Vanderlei Luxemburgo, hoje, após uma rápida atividade da equipe nas Laranjeiras, zona sul do Rio. "O que vale agora é o emocional. É saber estar preparado para perder, a fim de se recuperar em seguida", disse. Essa foi a ênfase da conversa dele com os atletas desde a derrota para o São Paulo, no domingo. E amanhã, contra o Flamengo, no Maracanã, é chegada a hora da reabilitação, segundo declarou. "Cada partida das nove últimas da competição adquiriu caráter de decisão. Cada ponto passou a ser muito importante. Mas não pode haver desespero, descontrole, e isso, no Santos, não vai ocorrer." Luxemburgo não quis confirmar a equipe que enfrentará o Rubro-Negro a partir das 21h50, mas deve manter o time que começou jogando contra o São Paulo. O zagueiro Leonardo, que atuou mal e reclamou de problema muscular depois da partida de domingo, está recuperado. E o meia Elano melhorou da gripe, treinou hoje normalmente e confirmou sua presença. Luxemburgo não quis se estender sobre a crise no Flamengo e destacou a neutralidade do Maracanã como fator que pode pesar a favor do Santos no clássico. "Só posso dizer que o Flamengo não está morto." Ele ressaltou que a situação delicada do adversário, ameaçado de rebaixamento, pode representar um risco maior para sua equipe. Citou a tradição do clube carioca como mais um motivo de atenção para o Santos. "Para ser campeão, é preciso estar preparado para as adversidades. A competição está aberta a cinco, seis times e o campeão do Brasileiro só deve ser conhecido na penúltima ou na última rodada." O técnico teve um momento de descontração nas Laranjeiras. Assim que a delegação do Santos chegava à sede do Fluminense, os jogadores do clube da casa deixavam o local. Luxemburgo cumprimentou o colega Alexandre Gama, que dirige o Tricolor, e lhe desejou sorte. Também fez um comentário que soou como um incentivo a Gama, depois de ele ter vencido a queda-de-braço com Romário no Fluminense. "Quando estiver convicto de algo, seja firme sempre", disse-lhe o treinador do Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.