Para Parreira e Luiz Alberto, Flu ainda busca equilíbrio

Depois de ser eliminado nas semifinais da Taça Guanabara e da Taça Rio, o Fluminense conseguiu a classificação às oitavas da Copa do Brasil, e agora foca suas atenções na competição nacional. Tendo investido pesado na montagem do elenco, era esperado que a equipe fosse melhor no Campeonato Carioca. Mas o técnico Carlos Alberto Parreira já tem a justificativa para o desempenho abaixo do esperado: a falta de equilíbrio ideal do time.

AE, Agencia Estado

27 de abril de 2009 | 17h15

"O grande segredo de um elenco é estar equilibrado. O time tem que ser equilibrado nos três setores: defesa, meio-de-campo e ataque. Sem isso fica difícil deslanchar", explicou nesta segunda-feira Parreira, adiantando ainda que o Fluminense pode ter reforços no segundo semestre. "Já conhecemos o elenco e por isso acho que as coisas estão caminhando bem. Estamos buscando contratações, mas a dificuldade é grande."

O ponto de vista do treinador é compartilhado pelo zagueiro e capitão Luiz Alberto. "São muitas mudanças, muitos jogadores novos, que estão se adaptando. Não é uma desculpa, mas tem influência. Estamos buscando um ponto de equilíbrio, isso está nos atrapalhando, mas vamos chegar lá", disse, admitindo a decepção na Taça Rio. "Não rendemos nas decisões e sentimos muito isso, contra o Flamengo principalmente. Mas a equipe está lutando, correndo, tendo disposição."

Além disso, Luiz Alberto também apontou o fato de o Fluminense não sofrer gols no último jogo, contra o Águia - venceu por 3 a 0 -, como uma evolução. A postura melhor da defesa pode ser fundamental nesta quinta-feira, quando o time das Laranjeiras joga a partida de ida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. O Fluminense vai a Goiânia enfrentar Goiás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.