Para Pelé, demissão de Sánchez do México é 'normal no futebol'

A falta de resultados de HugoSánchez como treinador da seleção mexicana fez com que suademissão fosse algo natural, disse Pelé nesta quarta-feira. Sánchez, que já foi cinco vezes artilheiro da ligaespanhola, foi demitido no dia 31 de março pela FederaçãoMexicana de Futebol (FMF), depois de um vendaval de críticaspelo seu mau desempenho em pouco mais de um ano no cargo esobretudo por não ter classificado a seleção para as próximasOlimpíadas. "A seleção não estava bem, e esta coisa de troca detreinador normalmente é assim. Acredito que Hugo tentou fazer omelhor, mas não se saiu bem e por isso foi feita a troca dotreinador. Isto é normal no futebol", disse Pelé em coletiva deimprensa. "O futebol vive de sucessos, de vitórias, o que osdirigentes querem é vencer e se não ganham sempre procuramoutra alternativa", acrescentou. As declarações de Pelé contrastaram com as do ex-jogadorargentino Diego Maradona, que disse na terça-feira que lhe dava"asco" a forma em que se decidiu a saída de Sánchez. Pelé estará em uma partida que o Santos, clube onde ele fezsua estréia, jogará na noite de quarta-feira contra osmexicanos do Chivas Guadalajara pela Copa Libertadores. A respeito do sucessor de Sánchez, Pelé disse que lheagradaria um estrategista com experiência e viu com bons olhosque um dos candidatos seja o seu compatriota Luiz FelipeScolari, atual técnico da seleção de Portugal. "O treinador, além de ter sorte, deve ter experiênciainternacional, saber muito bem sobre os outros países",afirmou. (Reportagem de Carlos Calvo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.