Para Picerni, Palmeiras está devendo

Para o técnico Jair Picerni, o título da segunda divisão não foi o suficiente para derrubar de vez as dúvidas sobre o real poderio do Palmeiras. Ele sente que ainda há desconfianças e escolheu o caminho ideal para acabar com elas. Quer vencer a Copa do Brasil. ?Esse título vai deixar o Palmeiras no mesmo nível dos outros grandes do futebol brasileiro. Eu sinto que a gente ainda está devendo, está atrás de outros times e a Copa do Brasil vai acabar com essas diferenças?, disse o treinador, após a vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, no sábado.O caminho para se chegar à final da Copa do Brasil é tentador. Se passar pelo Santo André, o Palmeiras enfrentará o vencedor de 15 de Novembro, time da cidade de Campo Bom, no Rio Grande do Sul, e Palmas, de Tocantins. Nenhum destes times está na primeira divisão. ?Não me entusiasmo com esse caminho aparentemente fácil. Tudo isso é teoria. Se a gente não se esforçar, tudo pode se complicar?, analisa Jair.E o jogo contra a Ponte serviu para alentá-lo. Ele viu o time recuperando uma característica que foi muito importante para que se conquistasse o título da segunda divisão no ano passado. ?Nós estamos recuperando a nossa pegada, o nosso poder de marcação. Contra o Goiás, na semana passada, o Palmeiras ficou só cercando, cercando e deu muito espaço para eles. O Goiás jogou o segundo tempo inteiro no nosso campo e isso é muito ruim. Contra a Ponte, mudamos.?Ele viu um Palmeiras muito mais participativo, com mais vontade de ganhar e de lutar. ?Nós disputamos as bolas no campo da Ponte, mesmo quando estava com dois ou três gols de vantagem. Isso é o que me deu mais alegria. Se não for assim, fica difícil vencer.?Picerni comemora a boa seqüência do Palmeiras. ?Em três jogos, marcamos sete gols e sofremos apenas um. Temos de manter esse rendimento.?A ordem, portanto, é marcar o Santo André desde o início do jogo. ?Nossa pegada está voltando?, diz Muñoz, repetindo o discurso de Jair Picerni. ?O time tem de jogar a primeira divisão com as mesmas armas que jogou a segunda. Nosso forte é a luta e a dedicação. Mostramos isso contra a Ponte e temos de continuar sempre assim. Se conseguirmos um bom resultado em Santo André, a gente pode definir a classificação em nossa casa, na outra semana.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.