Para Picerni, Sport é o principal rival

O Palmeiras vai enfrentar Santa Cruz, Brasiliense e Sport na segunda fase da Série B. A CBF definiu que a equipe estréia contra o Santa Cruz, sábado, no Recife, às 21h40. Na seqüência, os jogos serão contra Brasiliense, dia 7 em São Paulo, Sport dia 11, no Recife; Sport dia 18 em São Paulo, Brasiliense dia 21 em Taguatinga e Santa Cruz, dia 25 em São Paulo. O técnico Jair Picerni, que deixou o Parque Antártica revoltado com a atuação de sua equipe neste sábado na vitória sobre o Vila Nova por 2 a 1, afirmou que todos os times que chegaram a esta etapa têm condições de conquistar o acesso. Nesta segunda-feira, o elenco viaja para Extrema, onde treina até quinta-feira. "Não dá para ficar escolhendo adversário em um momento importante como esse. Todos têm nível e qualidades. Se o nosso grupo é difícil, o outro (formado por Náutico, Remo, Botafogo-RJ e Marília) também é.Teremos jogos muito difíceis pela frente." Para o treinador, as dificuldades serão encontradas tanto dentro quanto fora do Parque Antártica."O time sofreu demais em casa nesta fase de classificação. Um exemplo mais claro foi dado neste sábado contra o Vila Nova. Jogamos muito mal, a dinâmica foi péssima. Se o Vila tivesse um pouco mais de ousadia, teria deixado o estádio com uma vitória." Minutos depois, no entanto, Picerni admitiu que o Sport é o time que mais o preocupa. "Tem uma filosofia de jogo parecida com a nossa. Busca o gol o tempo todo e conta com jogadores técnicos. Na primeira fase, veio aqui e nos deu muito trabalho (a partida terminou empatada por 2 a 2). Eu sei que não vencemos nem o Santa Cruz (empate por 2 a 2), nem o Brasiliense (1 a 1), mas agora o campeonato que está começando é outro." O treinador também descartou que o Palmeiras seja favorito, mesmo tendo feito a melhor campanha e sendo dono do melhor ataque. "Se futebol ganhasse apenas pela tradição e pelo tamanho da torcida, tudo bem, acredito que o título seria nosso. Mas em campo o trabalho faz a diferença. Temos que melhorar muito para agradar." O goleiro Sérgio, referindo-se ao jogo contra o Vila Nova, acredita que o time tem que buscar uma maior concentração. "Estamos dando espaços especialmente nos jogos no Parque Antártica. Isso não pode se repetir a partir de agora. Menos mal que essa vitória sobre o Vila Nova nos deu tranqüilidade para entrar na segunda fase." Thiago Gentil, que entrou no segundo tempo em lugar de André, pede mais atenção especialmente nas partidas fora de casa. "Nessas ocasiões as chances de marcar são raras. Por isso, não podem ser desperdiçadas. Temos que matar o adversário." Picerni terá que controlar também a indignação do lateral Marquinhos, que deixou o estádio reclamando da falta de oportunidades para jogar. "Tem jogador aqui que só joga por influências externas", afirmou, sem citar nomes. "Eu praticamente nem sou lembrado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.