Para Platini, limitação a jogadores estrangeiros é impossível

Presidente da Uefa rebate idéias feitas nesta sexta-feira pelo presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter

Reuters,

05 de outubro de 2007 | 16h40

O plano do presidente da Fifa, Joseph Blatter, de limitar o número de jogadores estrangeiros nos clubes é impraticável, disse na sexta-feira Michel Platini, que comanda a Uefa. Veja também: Blatter defende cotas para jogadores europeus Platini disse que apóia a "filosofia" que sustenta o esquema de Blatter, de limitar para cinco a partir de 2010 o número de estrangeiros que entram em campo por cada time. Mas o ex-jogador francês disse que a Fifa tem de reconhecer que o plano pode não funcionar na União Européia, devido às leis que permitem a livre movimentação de trabalhadores. "A filosofia é fantástica, mas em termos legais é difícil", disse Platini à Reuters. "Entendo a Fifa porque eles têm 208 associações nacionais, e há 29 membros da UE que estão todos em nossa confederação. A filosofia é boa, mas para mim não é possível." Blatter deve enfrentar dificuldades para aprovar o plano, disseram autoridades da UE na sexta-feira. O G14, que representa 18 dos principais clubes da Europa, como Manchester United, Real Madrid e Milan, também manifestou sua oposição. A UE já está investigando a regra de "jogadores locais" da Uefa, que entrou em vigor em 2006 e determina que qualquer time envolvido em competições européias tenha um mínimo de oito jogadores locais.

Tudo o que sabemos sobre:
Uefafutebol europeuFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.