Reprodução
Reprodução

Para principal jornal espanhol, 'Brasil ganha mais do que joga'

El País critica Felipão e afirma que seleção está dependente de Neymar

O Estado de S; Paulo

23 de junho de 2013 | 14h02

SÃO PAULO - As três vitórias nos três primeiros jogos da seleção na Copa das Confederações não convenceram a crítica esportiva do El País, principal jornal espanhol. Neste domingo, no texto referente aos 4 a 2 sobre a Itália, a publicação destaca o número excessivo de faltas cometidas pelo Brasil, que "detalham o novo modelo" de atuar da equipe.

Segundo o jornal, há tempos que o Brasil perdeu seu futebol característico, não tendo sobrado "nem migalhas" daquela seleção que alcançou o ápice no futebol. E muito disso teria a ver com o técnico Luiz Felipe Scolari.

"Em sua busca pela escola europeia, Scolari se converteu num leitor de resultados e seus selecionados perderam o sorriso, a naturalidade, aquela espontaneidade que os distiguia", diz o texto. "Na melhor das hipóteses, isso se resume à Neymar, um lampejo neste Brasil e que padeceu diante [da marcação] dos italianos da mesma forma que lhe espera ao longo da carreira."

Para o El País, a entrada de Bernard no lugar do agora atacante do Barcelona serviu para Felipão reforçar a marcação, o que fez com que, apesar da "aparente inferioridade italiana", a seleção brasileira se refugiasse "sem rubor" em seu campo de defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.