Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Ricardo Duarte/ Internacional
Ricardo Duarte/ Internacional

Para Renato Gaúcho, Gre-Nal foi um 'massacre' do Grêmio, apesar de empate

'Quem buscou o gol, a vitória, o tempo todo, foi o Grêmio', afirma o técnico

Estadao Conteudo

05 de março de 2017 | 09h42

O empate em 2 a 2 não refletiu o que foi o domínio do Grêmio, que "massacrou" o Internacional no Gre-Nal disputado no sábado, na Arena do Grêmio. Pelo menos é essa a opinião do técnico Renato Gaúcho, que concedeu entrevista coletiva depois do jogo e revelou que a diretoria até decidiu pagar o bicho equivalente a uma vitória.

"Nós ficamos tristes (com o placar). Na minha opinião, foi um massacre. Quem buscou o gol, a vitória, o tempo todo, foi o Grêmio. No primeiro tempo, nem lembro de o Inter ter uma oportunidade. Muito, muito superior ao nosso adversário, mas infelizmente não tivemos o resultado que gostaríamos."

Renato fez questão de ironizar o Internacional, que comemorou o empate conquistado na casa do Grêmio. "Eles têm mais é que comemorar mesmo, pois pegaram um time de Série A e empataram na Arena", disse o treinador gremista, numa clara referência ao fato de o Inter estar na Série B do Campeonato Brasileiro.

O fato, porém, é que o jogo terminou empatado e, para o técnico do Grêmio, isso só aconteceu porque seu time desligou por 10 minutos. "O Grêmio dominou o primeiro tempo, e no segundo tempo deixou de jogar 10 minutos. Foi o tempo que o Inter aproveitou e fez os dois gols. No meu entender, sem demagogia, o Grêmio foi muito superior ao Inter o tempo todo", apontou.

Ele também explicou a decisão de escalar Pedro Rocha e não o reforço Barrios como titular no comando do ataque. "O Uendel apoia bastante, é bom jogador, e se eu colocasse o Barros de início teria que colocar o Luan aberto, e ele não tem essa característica. É importante o treinador, independente de quem começa, ter a opção de mudar o esquema durante a partida. Foi o que aconteceu. Tenho que acostumar o time a jogar com um jogador de área, algo que a gente não tinha há muito tempo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.