EFE/Sebastião Moreira
EFE/Sebastião Moreira

Para Renê Simões, Neymar passou de 'monstro' a próximo ganhador da Bola de Ouro

Sete anos depois de criticar o jogador revelado pelo Santos, treinador mostra arrependimento

O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2017 | 10h52

Em 2010, René Simões, então treinador do Atlético-GO, fez duras críticas ao atacante Neymar resumidas na frase "estamos criando um monstro". Sete anos depois, René afirma que não se arrepende da declaração, mas garante que o atacante do Barcelona será o melhor jogador do mundo. "Acredito que ele ganhe a Bola de Ouro esse ano. Muitos me parabenizam hoje pelo o que eu falei em 2010. Não fiz aquilo com raiva, ou para humilhá-lo. Fiz para educá-lo e, atualmente, é de se louvar o que ele tem feito. Tanto no Barcelona quanto na Seleção Brasileira", disse o treinador de 64 anos ao diário Lance!

                                                                           

Simões havia criticado Neymar depois de ter acompanhado de perto a disputa entre o atacante e o técnico Dorival Junior. Neymar se irritou depois que o treinador ter dado a ordem para Marcel cobrar um pênalti, em jogo na Via Belmiro. O jovem atleta, que tinha 18 anos naquela época, se revoltou e xingou Dorival. Acompanhando tudo de perto, o técnico do rival, René Simões, lamentou as atitudes do jovem, pediu encarecidamente que ele seja educado e disse que "um monstro" está sendo criado.

Sem clube desde uma  curta passagem pelo Macaé, René Simões afirma que precisava "sacudir" o craque do Barcelona que enfrenta nesta quarta-feira o Sevilla em rodada decisiva do Campeonato Espanhol. "Eu precisava sacudir o Neymar mesmo. Não me arrependo do que falei, pelo contrário", afirmou o treinador. "Sei, por terceiros, que o estafe do Neymar tem carinho e gratidão por mim. Foi importante para a gente não perder esse craque", completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.