Para Rincón, Mário Sérgio é "invisível"

?Estão buscando um bode expiatório no Corinthians. Eu não vou assumir esse papel. Minha carreira é limpa. Não vou deixar um técnico invisível como esse Mário Sérgio que não ganhou títulos tentar manchá-la?, desabafou nesta quinta-feira Rincón. O jogador de 37 anos ficou tenso ao saber que seria afastado se Mário Sérgio fosse contratado, por ser o chefe da ?panela dos veteranos? no Corinthians. ?Isso é uma grande sacanagem. Só trabalho para o bem do time. Se tem alguém que briga por união no grupo sou eu. Inventaram que eu bati no Fabrício. Não encostei um dedo nele. Só peço raça e vibração a todos os jogadores do Corinthians para sairmos desta situação.? Rincón não jogará contra o São Paulo. No Parque Ecológico o comentário era de que a sua contratura na coxa esquerda seria uma mentira. Na verdade, ele teria sido afastado do time.?Mentira de quem quer me prejudicar. E falam pelas costas. Estou cheio desta sacanagem. Os médicos viram uma fibrose que poderia estourar. A partir de segunda-feira estarei treinando normalmente?, disse. ?Quero aproveitar essa entrevista para dizer que vou cumprir o meu contrato até dezembro. Não vou sair por baixo, sujar minha carreira. Seria mais fácil abandonar tudo. Mas sou um homem que preza o que faz. Não voltei ao futebol à toa. Nem para ser usado por gente que nem conheço como o Mário Sérgio.? De Mário Sérgio, Rincón diz que é perseguido desde quando ele era diretor do Banco Excel e trabalhava no Corinthians. ?Ele vetou a minha contratação em 1997. Não me conhecia. Acho que ele não gosta de estrangeiro em time brasileiro. Por aqui conheci um técnico sacana: o Marco Aurélio no Cruzeiro. E este ?invisível? que nem foi contratado pelo Corinthians e quis me prejudicar. Não aceitarei calado esse ataque injustificado. Vou ficar no Corinthians e mostrar porque voltei ao futebol.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.