Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Para Robinho, Maringá foi à Vila Belmiro apenas para fazer faltas

Santos venceu por 1 a 0 e avançou na Copa do Brasil

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2015 | 22h25

Para os jogadores do Santos, a postura excessivamente defensiva do Maringá foi responsável pelo jogo fraco e sem emoções na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil. Com o triunfo por 1 a 0, o Santos avançou para a próxima fase - aguarda o vencedor de Sport e Chapecoense -, mas teve uma atuação sonolenta e sem brilho.

"Criamos bastante, mas faltou caprichar na hora da finalização. Eles não vieram para jogar, só pra fazer falta. Ficou um jogo muito feio", avaliou o atacante Robinho, um dos melhores em campo. 

Robinho aproveitou bem a postura do Maringá. Usou a habilidade individual para "carregar" os rivais com cartões amarelos. Foi assim que Eurico foi expulso aos 17 minutos da etapa final. Com isso, o Santos jogou com a mais. 

Apesar da crítica à postura do rival, o Santos criou pouco, foi lento e sem imaginação. "Eles jogaram com todo mundo atrás, mas valeu o empenho de todos pra conseguir o gol no fim", afirmou Lucas Lima, substituído por Gabriel na metade do segundo tempo. 

O Santos conseguiu furar a retranca do Maringá somente aos 46 minutos do segundo tempo. Na jogada, após belo lançamento de Cicinho, Ricardo Oliveira fez seu primeiro gol na Copa do Brasil. 

"Foi um jogo difícil. Aceitamos a proposta defensiva deles.  Precisamos mexer muito a bola, jogar pelos lados do campo. Tentamos cruzar, fizemos de tudo. Fomos passivos, tinha que ser mais agressivo, dinâmico. No fim, fomos premiados com o gol", disse o camisa 9. 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSantos FCRobinhoMaringá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.