Para Ronaldo, jogo tem "gostinho especial"

O atacante Ronaldo já superou o trauma da final da Copa do Mundo de 1998, quando teve uma das piores atuações de sua carreira, conseqüência da convulsão que sofreu cerca de sete horas antes do início da partida em que a França venceu o Brasil por 3 a 0 no Stade de France. Mas não esqueceu daquele dia 12 de julho. Por isso, a partida desta quinta-feira tem um ?gostinho especial? para ele. ?Tem esse sabor, já que minha última, e péssima, lembrança aqui neste estádio, na Copa de 1998, foi que a gente perdeu a final?, disse Ronaldo. ?A gente espera fazer um grande jogo para apagar um pouco aquela derrota.? Em 1998, Ronaldo passou mal depois do almoço na concentração do Brasil em Lesugny. Começou a se debater na cama. Foi levado rapidamente a uma clínica de Paris para fazer exames, que nada constataram. Enquanto isso, sob clima de grande apreensão, a delegação brasileira deslocou-se para o Stade de France. Poucos minutos antes do começo da decisão, Ronaldo juntou-se ao grupo, disse que estava bem e pediu para jogar. O médico da época, Lídio Toledo, o liberou. Zagallo o escalou, mas ele nada fez e sua presença em campo ainda preocupou os companheiros. O Brasil foipressa fácil para a França. Por tudo isso, uma vitória nesta quinta vai ser bastante comemorada pelo atacante. ?Até porque a França é uma das melhores seleções do mundo, espero ter grande atuação.? Em seguida Ronaldo garantiu que o título mundial conquistado em 2002 serviu para apagar grande parte da decepção que havia sentido quatro anos antes. ?Com o título deu para praticamente esquecer o que ocorreu em 1998. O trauma passou.? Apesar de não estar no melhor da forma física, por conta de seguidas contusões, Ronaldo garante que pode render muito bem neste amistoso. ?A motivação que um jogo desses dá ajuda a superar qualquer problema.? Já Ronaldinho Gaúcho, que em 1998 apenas sonhava em chegar um dia à seleção e assistiu àquela final pela televisão, garante estar também bastante motivado. ?Num jogo desses, apesar de ser amistoso, é importante vencer. O objetivo é fazer uma grande partida e sair com a vitória.? Kaká, o outro integrante do trio de ouro da seleção, vai enfrentar Zidane, o francês de Real Madrid, a quem já chegou a ser comparado na Europa. ?Fico contente, é um prazer jogar contra ele. Mas o Zidane já fez uma grande história e eu preciso fazer a minha.? Outro destaque da seleção, o lateral-esquerdo Roberto Carlos considera que a partida desta quinta será bastante difícil para os brasileiros. ?Quem diria que um dia a França seria considerada a grande rival do Brasil. Antes só se falava da Itália, Alemanha, Inglaterra.? Para Roberto Carlos, o poder do time ?Bleu? é o espírito de equipe. ?Todos falam do Zidane, mas eu vejo a França como um time de conjunto muito forte.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.