Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Para santistas, gol no início e falta de treino explicam goleada para o Palmeiras

Jogadores admitiram atuação ruim nos 4 a 0 sofridos diante do Palmeiras neste sábado, no Pacaembu

Dani Arruda, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2019 | 21h54

Os jogadores do Santos admitiram uma atuação ruim na goleada sofrida para o Palmeiras, por 4 a 0, neste sábado, no Pacaembu, confronto que valia a liderança do Campeonato Brasileiro

Na análise dos santistas, dois motivos foram determinantes para o baixo rendimento e o placar elástico: o gol sofrido logo aos cinco minutos do primeiro tempo, marcado pelo zagueiro Gustavo Gómez, e o pouco tempo de preparação para o clássico. 

iferentemente do Palmeiras, que teve a semana livre para treinamentos, o Santos entrou em campo e empatou por 0 a 0 com o Atlético-MG, quarta-feira, no Independência, na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil

“Não deu nada certo. Não tivemos tempo de treinar, foi mais na base da conversa mesmo. Não tivemos uma boa saída de bola, como de costume. Para piorar, tomamos o gol muito cedo. Ficamos desorganizados. É o começo do campeonato. A torcida pode ficar tranquila porque e vamos brigar pelo título”, afirmou o zagueiro Gustavo Henrique. 

Análise semelhante teve Lucas Mota. Para o meia, os gols sofridos no início da partida prejudicaram o planejamento do time santista. Com 18 minutos de jogo, o Santos já perdia por 2 a 0. 

“Não fizemos um bom jogo. Sabíamos que a bola parada deles era perigosa e erramos. No segundo tempo foi tudo ou nada, fomos para o ataque e eles mataram o jogo no conta-ataque”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.