Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Para ser 'dona do próprio destino', Alemanha só pensa em vitória

Atual campeão enfrenta a Coreia do Sul nesta quarta-feira, às 11 horas, em Kazan

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

27 Junho 2018 | 00h00

No tumultuado Grupo F da Copa do Mundo, a Alemanha pode avançar às oitavas de final na Rússia mesmo em caso de derrota para a Coreia do Sul, nesta quarta-feira, às 11 horas (de Brasília), em Kazan. Mas o técnico Joachim Löw, depois do susto da rodada anterior, não quer nem saber de tropeço. Na sua avaliação, os atuais campeões mundiais têm o dever de vencer, convencer e buscar a classificação para serem "donos do próprio destino".

+ Fifa multa funcionários da Alemanha que provocaram suecos após gol de Kroos

+ Löw quer que Alemanha pense em vencer e ignore duelo entre Suécia e México

O "destino" escorreu pelas mãos da Alemanha devido à inesperada derrota para o México, por 1 a 0, no México. Então favorita, a seleção europeia precisou correr atrás do prejuízo para reagir na chave, diante da Suécia. Mas não sem sofrimento. A suada vitória de virada foi obtida com gol nos acréscimos. Alívio para os alemães.

Eles ocupam a segunda colocação da chave, com os mesmos três pontos dos suecos, que estão em terceiro por conta dos critérios de desempate (confronto direto). O líder é o México, com seis pontos. Porém, a Alemanha ainda estará de olho no outro resultado da chave, entre Suécia e os mexicanos - os dois duelos serão disputados simultaneamente.

Para evitar esta dependência e avançar com tranquilidade, a Alemanha precisa vencer por ao menos dois gols de diferença nesta quarta. Porém, um empate ou até mesmo uma derrota, a depender de suecos e mexicanos, podem ser suficientes.

 

Löw, contudo, não quer saber de correr riscos. "Temos que marcar dois gols a mais que os rivais para podermos seguir nosso caminho. Temos que ser donos de nosso próprio destino", prega o treinador.

Para tanto, ele espera aprender com os erros cometidos no jogo de estreia. E já alertou seu time quanto ao contra-ataque da Coreia do Sul, que, na sua avaliação, não depende somente do atacante Son Heung-Min, do Tottenham. "Eles têm dois ou três jogadores muito rápidos e devemos parar seus contra-ataques."

Contra os sul-coreanos, ele vai promover o retorno de Mats Hummels, justamente o responsável pela falha da defesa alemã no contra-ataque mortal do México, na estreia. Sacado do time para o segundo jogo, o zagueiro voltará a ser titular por causa da ausência de Jérôme Boateng, suspenso por ter sido expulso na rodada anterior.

Outra baixa certa é a do meia Rudy, que sofreu uma fratura no nariz no jogo passado e foi submetido a uma cirurgia. Khedira pode voltar ao time. Gündogan também tem chances de aparecer entre os titulares.

Com estas alterações, o treinador alemão espera fazer a sua parte para, quem sabe, terminar a fase na primeira colocação da chave. Assim, poderia evitar um eventual confronto com a seleção brasileira, que ainda não está classificada, mas é a favorita para ficar com o primeiro posto do Grupo E.

A Coreia do Sul, por sua vez, tem tarefa mais complicada. Precisa vencer a Alemanha, se possível por um bom placar, e ainda torcer por um triunfo dos mexicanos sobre os suecos. Em quarto lugar, o time asiático ainda não somou ponto na Rússia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.