Rodrigo Coca / Agência Corinthians
Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Para Sylvinho, Corinthians fez 1º tempo apático contra Flamengo: 'Atuação ruim'

Treinador criticou a falta de eficácia do sistema defensivo e a pouca agressividade ofensiva da equipe

Redação, Estadão Conteúdo

01 de agosto de 2021 | 20h02

A atuação do Corinthians na derrota para o Flamengo por 3 a 1, neste domingo, na Neo Química Arena, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro, não teve como ser defendida pelo técnico Sylvinho. Em sua entrevista coletiva pós-jogo, ainda que mantendo tom ponderado nas declarações, o comandante alvinegro não poupou críticas ao time e apontou para as falhas em um jogo no qual foi completamente dominado e sofreu os três gols antes do intervalo.

"Foi um primeiro tempo muito ruim, apático, não estivemos bem no jogo, não porque não quisemos, mas estivemos mal no jogo. Isso nos custou praticamente a partida, três gols, você fica numa situação muito difícil e ruim para voltar para o segundo tempo. Um adversário qualificado, com grandes jogadores, mas nosso primeiro tempo não foi bom, pouca força na marcação, não tivemos a bola, não atacamos, e demos o resultado ao adversário. Realmente foi uma atuação muito ruim", disse.

"Vou além, nós não incomodamos e também não fomos eficazes no nível defensivo, de sustentação. O adversário acabou tendo um amplo domínio. Por isso a chateação do resultado do primeiro tempo, que nos trouxe problemas. Não é que não incomodamos, mas também não tivemos eficácia defensiva. Isso não deixa ninguém contente nem feliz", completou o técnico.

O Corinthians só conseguiu ter um pouco do controle do jogo nos minutos finais, quando conseguiu marcar um gol com Vitinho e diminuiu o prejuízo. Sylvinho, porém, minimizou esse fato.

"Não houve um poder ofensivo no fim. Houve duas ou três jogadas isoladas, ainda conseguimos um gol bonito, numa bola desviada, e um chute do Mateus Vital que tocou na trave, mas foram jogadas de longe, não quero acreditar que chutes de 30 metros vão no gol sempre. Você pode chutar dez e vai uma dentro. Lutamos o segundo tempo para nos mantermos no jogo, para tentar um gol, de repente um segundo. Tivemos ali, mas não com tanto poder ofensivo. Foi com consistência, luta, tentando reverter um resultado contra um rival qualificado e experiente", comentou.

O treinador destacou o espírito de luta do time na segunda etapa, mesmo com a derrota encaminhada. "Corinthians é Corinthians, é não desistir, lutar e se entregar. Tem se entregado, tem sido uma equipe organizada, que luta e que entrega. Às vezes num ganha. Hoje foi o contrário, não tivemos força ofensiva nem defensiva. Não foi eficaz, ficamos expostos muito tempo. Pode ser a qualidade do adversário, mas para mim não quer dizer tudo. Poderíamos ter feito um primeiro tempo muito melhor. Tivemos momentos difíceis, fomos envolvidos e o jogo ficou perigoso ainda mais", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.