Para Vasco, banco estava inadimplente

Ao anunciar o rompimento do contrato, em nota oficial, o Vasco se justificou nesta quarta-feira, afirmando que o Bank of America estava inadimplente em relação aos pagamentos da cota mínima a que o clube tinha direito. Ou seja, o banco não estaria pagando os cerca de US$ 17 milhões a que o clube tem direito por alteração contratual. Em seguida, a nota reclama das condições do contrato, que foi assinado pelos dirigentes do clube.O vice-presidente Jurídico do Vasco, Paulo Reis, garantiu que o Bank of America terá de pagar R$ 41 milhões ao clube. Cerca de R$ 24 milhões, segundo ele, seriam decorrentes da dívida. "O próprio banco confessou essa dívida", afirmou o dirigente. O restante, R$ 17 milhões, é o correspondente à multa rescisória, que tem de ser paga pela parte culpada pelo rompimento do contrato.O Bank of America alega que esse valores fazem parte das retiradas efetuadas, indevidamente, pelo clube, relativas aos direitos de transmissão de competições. O rompimento não está consumado, embora a diretoria vascaína tenha anunciado isso em nota oficial. A diretoria do clube, porém, ainda não entrou na Justiça.Por meio do advogado Marcelo Ferro, o banco afirmou que ainda não pretende rescindir o contrato, mas espera receber o montante de R$ 100 milhões que o clube lhe deve. "Ainda acreditamos que o contrato pode ser executado, mas vamos exigir os nosso direitos", afirmou."Podemos partir para rescisão se o clube não aceitar quitar a dívida." O clube, por sua vez, reclama das exigências do contrato, afirmando que foi prejudicado pelos seus termos e alterações. Todos os compromissos, porém, contaram com a concordância da direção do Vasco, por meio de seus dirigentes.Segundo a diretoria do Vasco, todas as fontes de renda do clube foram cedidas ao banco, o que realmente aconteceu. Essa cessão foi feita por meio de alterações contratuais, que tiveram a assinatura dos dirigentes.O Vasco acusa o parceiro de, ao não fornecer a cota mímina a que o clube tinha direito, impedir o pagamento dos salários dos atletas. Hoje, os atletas amadores têm até quatro meses de salários atrasados.Os jogadores também não estão recebendo parte de seus rendimentos.Auxílio - Reis garantiu que o Vasco não recorreu aos outros clubes em procura de socorro financeiro. "Essas notícias são mentirosas, se tivéssemos de pedir, ajudar, seria aos nossos torcedores", garantiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.