Para vice do Milan, só desastre tira Bola de Ouro de Kaká

'Se Kaká não conquistar a próxima Bola de Ouro, seria o fim do mundo', afirma Adriano Galliani

21 de outubro de 2007 | 12h48

O vice-presidente e chefe executivo do Milan, Adriano Galliani, afirmou neste domingo que só um desastre tira do meia brasileiro Kaká o prêmio Bola de Ouro, entregue ao melhor jogador do mundo nesta temporada pela revista France Football. "Se Kaká não conquistar a próxima Bola de Ouro, seria o fim do mundo", afirmou o dirigente minutos antes do início da partida contra o Empoli no estádio San Siro, pelo Italiano.  "Acho que não existem dúvidas sobre a Bola de Ouro pelo que Kaká fez e pelo que está fazendo, e não sei quem poderia tirar o troféu dele. Ele conquistou a Liga dos Campeões da Europa e foi artilheiro da competição, além de ser o melhor jogador da atualidade", completou. O dirigente se disse orgulhoso de ver tantos jogadores do Milan - seis, de três nacionalidades diferentes - na lista de 50 candidatos: "Isto quer dizer que a qualidade dos jogadores do Milan é evidentemente reconhecida em nível internacional. Somos a equipe mais européia, e estou orgulhoso", comentou. Galliani afirmou não ter visto o gesto do goleiro Dida antes da partida deste domingo, pedindo desculpas à torcida por simular uma contusão contra o Celtic e acabar suspenso por dois jogos pela Uefa. "Estava no vestiário, não vi. Um homem entrou em campo e agrediu Dida, e acabou que o culpado foi ele. Achei a decisão da Uefa pouco justa", concluiu o dirigente.

Tudo o que sabemos sobre:
KakáMilanAdriano Galiani

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.