Ronaldo Schemidt/ AFP
Ronaldo Schemidt/ AFP

Paraguai aproveita erro de goleiro da Jamaica e encaminha vaga

Cabeçada de Duwayne Kerr rebatida em Benítez decide partida

GABRIEL MELLONI, Estadão Conteúdo

16 de junho de 2015 | 20h05

O Paraguai contou com uma falha individual grotesca do adversário para bater a Jamaica nesta terça-feira, em Antofagasta, e ficar perto da vaga nas quartas de final da Copa América. Como o Uruguai, os paraguaios enfrentaram muita dificuldade diante do frágil rival, mas arrancaram a vitória graças à infelicidade do goleiro Duwayne Kerr, que entregou o único gol do 1 a 0 para Edgar Benítez no primeiro tempo.

Com o heroico empate da estreia contra Argentina e a vitória desta terça, o Paraguai encaminhou sua classificação ao assumir provisoriamente a liderança do Grupo B do torneio, com quatro pontos. Os jamaicanos ainda não pontuaram e são os lanternas. Os outros times da chave, Uruguai (três pontos) e Argentina (um), se enfrentam ainda nesta terça pela segunda rodada.

Diante de uma Jamaica bastante fechada, o Paraguai começou com o comando do jogo, garantindo a posse de bola e tentando as jogadas pelo alto, quase sempre buscando Roque Santa Cruz. Mas diante da resistência dos altos zagueiros jamaicanos, o jeito foi mudar a estratégia.

A equipe, então, passou a tentar de longe e a primeira finalização realmente perigosa aconteceu aos 20 minutos. Após jogada de Benítez pela direita e rebatida da zaga, Bobadilla emendou com estilo, rente à trave direita. Este parecia ser o caminho, e foi assim que Santa Cruz voltou a assustar aos 32 minutos, quando recebeu na meia-lua e bateu de primeira, testando os reflexos de Kerr.

O Paraguai ganhava terreno, melhorava na partida, mas só abriria o placar em uma falha bizarra de Kerr. Aos 36 minutos, após lançamento forte demais da zaga sul-americana, o goleiro saiu da área para cabecear. A bola, no entanto, bateu nas pernas de Benítez, encobriu o próprio Kerr e entrou mansamente.

Na volta para o segundo tempo, o Paraguai manteve o mesmo plano e voltou a levar perigo de fora da área aos seis minutos, em chute de Cáceres defendido por Kerr. Aos 14, foi a vez de Samudio tentar desta forma, após bela tabela com Bobadilla. O lateral faria um golaço, mas acertou o travessão.

A Jamaica se mostrou mais ousada do que no primeiro tempo e tentou em algumas rápidas escapadas, mas esbarrou lance após lance nas próprias limitações técnicas. A dificuldade do adversário relaxou o Paraguai, até de forma excessiva, uma vez que os próprios sul-americanos já não se lançavam tanto ao ataque e se mostravam extremamente confortáveis com o cenário.

De tanto chamar a Jamaica para o ataque, o Paraguai quase foi castigado aos 34 minutos, quando McCleary arriscou de longe e quase surpreendeu Antony Silva. Os últimos minutos foram de pressão dos jamaicanos, muito mais na base da força do que da técnica. E aos 46, Mattocks teve a chance, sozinho, na marca do pênalti, após cruzamento da direita, mas jogou por cima, longe, o melhor momento da equipe.

FICHA TÉCNICA:

PARAGUAI 1 X 0 JAMAICA

PARAGUAI - Antony Silva; Bruno Valdez, Paulo da Silva, Pablo Aguilar e Samudio (Iván Piris); Victor Cáceres, Ortigoza, Derlis González e Edgar Benítez (Molinas); Roque Santa Cruz e Raúl Bobadilla (Haedo Valdez). Técnico: Ramón Diaz.

JAMAICA - Duwayne Kerr; Mariappa, Michel Hector, Wes Morgan e Kemar Lawrence; Rudy Austin, McAnuff, McCleary e Watson (Lance Laing); Dawkins (Mattocks) e Giles Barnes (Deshorn Brown). Técnico: Winfried Schäfer.

GOL - Edgar Benítez, aos 36 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Carlos Vera (Fifa/Equador).

CARTÕES AMARELOS - Bruno Valdez (Paraguai); Rudy Austin, Wes Morgan (Jamaica).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Bicentenario Calvo Y Bascuñan, em Antofagasta (Chile).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa AméricaParaguaiJamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.