Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Paraguaios ofuscam goleiro rival e garantem vitória do Corinthians

Corintianos fazem 2 a 1 em casa mesmo perdendo dois pênaltis

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2016 | 23h55

Foi na base da superação e da persistência que o Corinthians venceu a Ponte Preta em Itaquera, por 2 a 1, e garantiu a melhor classificação geral do Paulistão com duas rodadas de antecedência. Porque não é fácil ganhar um jogo perdendo dois pênaltis, o que tornou dramático o fim da partida.

O zagueiro Balbuena foi de vilão a herói da noite. Ele havia falhado no gol de empate da Ponte, e acertou uma cabeçada forte aos 37 minutos do segundo tempo. Poucos imaginavam que ele entraria em campo, porque na terça-feira estava no Defensores del Chaco. Ele não enfrentou o Brasil e disse a Tite que poderia jogar.

O Corinthians entrou em campo com um time praticamente reserva, só com dois titulares em campo. Por isso houve tanta dificuldade na criação e também erros em excesso no sistema defensivo. Até os 20 minutos, o Corinthians sequer finalizava no gol. Mas a partir daí, melhorando a troca de passe e encurtando os espaços, empurrou a Ponte para o seu campo.

Em uma blitz de cinco minutos, abriu placar. Poderia ter feito 1 a 0 já aos 24, se Luciano não tivesse errado a primeira penalidade. Bateu muito fraco e João Carlos defendeu a cobrança.

O gol saiu dois minutos depois, aos 26. Rodriguinho, o jogador que havia sofrido o pênalti, começou a jogada pela direita. Edílson cruzou, Alan Mineiro tentou finalizar, a zaga cortou. Foi o suficiente para Romero encher o pé, mandando no ângulo. Golaço do paraguaio.

A impressão que se tinha era que o Corinthians, com a vantagem na mão, teria mais tranquilidade para ampliar o marcador. Mas o time cometeu erros no sistema defensivo, principalmente pelo lado esquerdo. O gol de empate da Ponte foi fruto de falhas individuais. Primeiro de Balbuena, depois de Cássio, que espalmou a bola para o meio da área. Felipe Azevedo não perdoou: 1 a 1, aos 30.

No segundo tempo, aconteceu de tudo. Pressão do Corinthians, Giovanni Augusto e André melhorar o time e veio o gol. O placar só não foi ampliado porque Romero também perdeu um pênalti, aos 45. Agora Tite já prepara o time titular para encarar o Palmeiras, domingo, e para o jogo contra o Santa Fé, quarta, pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 x 1 PONTE PRETA

CORINTHIANS - Cássio; Edilson, Vilson, Balbuena e Guilherme Arana; Willians, Rodriguinho e Alan Mineiro (Maycon); Romero, Luciano (André) e Danilo (Giovanni Augusto). Técnico: Tite.

PONTE PRETA - João Carlos; Jeferson, Douglas Grolli, Fábio Ferreira e Reinaldo; Jonas (Renato), João Vítor, Clayson (Nino Paraíba) e Ravanelli (Cristian); Felipe Azevedo e Wellington Paulista. Técnico: Alexandre Gallo.

GOLS - Romero, aos 26, e Felipe Azevedo, aos 30 minutos do primeiro tempo; Balbuena, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Vilson, Edilson e Romero (Corinthians); Jonas e Reinaldo (Ponte Preta).

ÁRBITRO - Alessandro Darcie.

RENDA - R$ 1.023.757,50.

PÚBLICO - 22.029 pagantes.

LOCAL - Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.