Paraná busca estímulo na Sul-Americana

O Paraná espera que uma vitória nesta quarta-feira, às 21h50, contra o Santos, no estádio Pinheirão, em Curitiba, pela Copa Sul-Americana, possa servir de estímulo para a reação no Campeonato Brasileiro. Afinal, estarão se encontrando o líder e o lanterna da competição nacional. "Não podemos baixar a guarda, temos que trabalhar", avisou o técnico Gilson Kleina, reconhecendo os riscos de rebaixamento do Paraná no Brasileirão. "Temos que saber conviver, temos que passar para o torcedor que não estamos conseguindo fazer o bom jogo que queremos, mas que aqueles jogadores que vestirem a camisa do Paraná terão motivação."Ao contrário do Santos, o Paraná não irá poupar os titulares. "Quem estiver em condição vai jogar", garantiu Gilson Kleina. "Não podemos nos dar ao luxo de priorizar este ou aquele jogo." Mas o time terá desfalques. Os zagueiros Fernando Lombardi e Gelson Baresi não jogam, assim como o volante Axel e o meia Canindé - todos contundidos. Já o meia Messias, recém-contratado, faz sua estréia.Fora dos planos - A diretoria do Paraná, que já dispensou vários jogadores nos últimos dias, anunciou nesta terça-feira o desligamento do atacante Sinval, que teve poucas oportunidades de jogar no clube. "É um grupo que tem problemas, é um grupo limitado, é um grupo que está sendo sobrecarregado a todo momento e fica difícil quando não se tem estrutura", criticou o jogador. "Mas eu vou torcer muito porque fiz muitas amizades."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.