Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Paraná e Guarani empatam sem gols

O Paraná Clube e o Guarani fizeram um jogo monótono, neste domingo à tarde, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba, com poucas jogadas de ataques. O resultado não poderia ter sido diferente do 0 a 0. O técnico Edu Marangon, que estreou como quarto técnico do Paraná Clube neste campeonato, não trouxe sorte. Os dois times somam 36 pontos, com o Paraná na 10ª colocação e o Guarani na 11ª.O Paraná sentiu a ausência do artilheiro Renaldo, que cumpria suspensão automática, e não mostrou a força ofensiva de outras jornadas. O começo até que foi eletrizante. A pressa, no entanto, atrapalhou. Até os 11 minutos, já tinham sido criadas pelo menos três boas oportunidades de gol, mas Flávio Guilherme, substituto do artilheiro, mostrava muita displicência e aos poucos ganhava a antipatia dos torcedores.O Guarani, passado o primeiro impacto, passou a forçar a marcação no meio-de-campo para buscar o contra-ataque. Mas não conseguia e o jogo ficou chato, sem que os goleiros fossem acionados. Edu Marangon até que percebeu o problema do time e retirou Flávio Guilherme no intervalo, entrando Fernandinho. O Paraná deu uma mostra de que poderia ter mais poder ofensivo, com Caio perdendo um gol logo a 6 minutos. Mas parou nisso.O técnico paranista preferiu não mexer em seu setor defensivo, deixando os dois volantes presos atrás, trocando apenas os jogadores ofensivos. O Guarani, por sua vez, aproveitava os contra-ataques para levar um pouco de perigo ao gol de Flávio, mas também não tinha qualquer pretensão maior, mostrando-se satisfeito com o empate fora de casa. O resultado foi um segundo tempo tão chato quanto o primeiro.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2003 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.