Paraná investe pouco para o Brasileiro

O Paraná Clube procurou jogadoresquase desconhecidos de seus torcedores para montar o time queirá buscar uma colocação melhor que o 14º lugar conseguido noCampeonato Brasileiro do ano passado. Para comandar o grupo jovem e que ainda buscaentrosamento, o técnico Otacílio Gonçalves retornou ao time, queperdeu uma de suas principais estrelas, o volante Hélcio. Entre os novos jogadores e que já assumiram o posto detitular está o zagueiro Cristiano, que veio do Lustenau, daÁustria.Para a zaga, também chegou Fábio Luís, do Juventus. Omeio-de-campo apresenta como novidades Leandro, que era doCruzeiro, Sidnei, ex-atleta do próprio Paraná Clube, que retorna e Ronaldo, que defendia o Figueirense. Na última semana, Otacílio recebeu o reforço dosjogadores Alexandre, Luís Paulo e Márcio, que tinham sidoemprestados ao Iraty para a disputa da seletiva para a CopaSul-Minas. "Com eles nós melhoramos na posse de bola, estamosmais coesos em campo, seguros na defesa e com boa movimentaçãono meio-de-campo", disse. O Paraná deverá mandar seus jogos no Estádio Pinheirão,que passou por reformas. No entanto, entraves burocráticos vãoobrigar que a estréia seja realizada no Estádio Couto Pereira. Avantagem é que o Paraná ficará com 100% da arrecadação, livre dedespesas. O acordo para utilizar por seis vezes o estádio doCoritiba faz parte do pagamento pelo empréstimo do meia LúcioFlávio. Sem recursos e com cota de televisão de apenas R$ 1,1milhão, o Paraná aboliu a concentração quando os jogos foremrealizados em Curitiba. Time-base do Paraná Clube: Marcos; Luís Paulo, Cristiano Fábio e Fabinho; Leandro, Sidnei, Ronaldo e Alexandre; Maurílioe Márcio. Técnico: Otacílio Gonçalves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.