Paraná não quer mais levar sustos

O Paraná Clube não quer mais levar sustos e nem deixar seus torcedores apreensivos como aconteceu no final das duas últimas competições. No Campeonato Brasileiro do ano passado e no Paranaense deste ano, o time disputou até a última rodada para não ser rebaixado. Nas duas vezes conseguiu escapar. Mesmo assim, a torcida ainda não está convencida de que o Paraná mudou e poderá fazer um bom campeonato, disputando as primeiras colocações. É o desafio que a diretoria paranista está se colocando.Em termos de contratação, a filosofia é "manter os pés no chão". O primeiro reforço está no banco. Com experiência do Criciúma (SC) e Gama (DF), o técnico Alex Stival, conhecido como Cuca, substitui Caio Júnior, que estava comandando o Paraná no Paranaense. A diretoria aposta em seu estilo disciplinador e exigente para comandar um grupo jovem.Alguns jogadores já chegaram para reforçar o elenco e outros podem ser incluídos no decorrer do campeonato. "O processo é mais delicado, mais lento, para se buscar as peças que encaixam dentro do que a gente imagina, inclusive na parte financeira, para que a gente fique mais forte", diz Cuca. "O ideal era já ter um time pronto, mas pela terceira ou quarta rodada vamos estar com o grupo definido." Entre os novos nomes, o destaque é para o atacante Renaldo, ex-Atlético Mineiro, de onde saiu inclusive para defender a seleção brasileira em 1996, quando foi artilheiro do Brasileiro. A estratégia da diretoria é trazer jogadores que possuem seus direitos federativos ou fazer parcerias para reforçar o time. Além de Renaldo, também se integraram ao elenco o lateral Milton, ex-União São João, o atacante Rodrigo Silva, ex-Goiás, o meia Caio, ex-Ituano, e o meia Fernandinho, ex-Caxias (SC). Na mira está o goleiro Flávio, ex-Atlético Paranaense, que amarga a reserva no Vasco da Gama. Os jogos serão mandados no estádio Pinheirão, que tem capacidade para 45 mil torcedores. Time-base: Darci; Milton, Ageu, Cristiano Ávalos e Fabinho; Emerson, Goiano, Fernando Miguel e Marquinhos; Renaldo e Dennys.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.