Paraná sofre, mas vence o Figueirense

O Paraná Clube procurou o ataque apenas o primeiro tempo da partida contra o Figueirense, desta quarta-feira à noite, no Estádio Pinheirão, em Curitiba. Mas foi o suficiente para vencer por 2 a 1 e somar 41 pontos. Apesar de alguns protestos e muitos sustos no segundo tempo, a pequena torcida paranista saiu com a confiança de que é possível escapar do rebaixamento. Enfrentando um Figueirense bem armado, com muita rapidez nos contra-ataques, os jogadores paranistas conseguiram suportar as investidas sobretudo na etapa final.O Paraná começou o jogo sem muita tranqüilidade, embolando na marcação dos catarinenses, que não perdiam de vista a bola, tendo sempre mais de um jogador em seu encalço. Mas quando o Figueirense começava a arriscar jogadas mais agudas em direção ao gol, o meia paranista Marcelo Passos ludibriou sua marcação e tocou para Marcel vencer o goleiro Edson Bastos, aos 21 minutos.Após o gol, o Paraná deu espaço ao Figueirense, que foi para cima, mas não contava com uma descida fatal do time da casa aos 32 minutos. O lateral Etto fez boa jogada e tocou para a área. No bate-rebate, a bola sobrou para Galvão, que acertou bela cabeçada. A alteração realizada pelo técnico Dorival Júnior retirando César Prates para a entrada de Alexandre Gaúcho nos minutos iniciais do segundo tempo foi fundamental para o crescimento do futebol do time catarinense.Numa de suas primeiras investidas ao ataque, aos 14 minutos, o jogador foi feliz e diminuiu o placar. O Paraná sentiu o gol e passou a errar lances fáceis. O técnico Paulo Campos sentiu a dificuldade e, faltando 10 minutos, retirou um atacante para colocar o zagueiro João Paulo. Não criou mais nada, mas também não deixou o Figueirense trabalhar com tranqüilidade e somou três pontos importantes para permanecer na Série A.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.