Paraná verá o ?clássico dos extremos?

Coritiba e Atlético Paranaense enfrentam-se neste sábado, às 16 horas, na Arena da Baixada, em Curitiba, em situações opostas. Enquanto o primeiro tem em vista garantir uma vaga para a Libertadores da América e ainda sonha com o título de campeão brasileiro, o segundo está mais preocupado com o risco de rebaixamento. "É clássico e não há qualquer previsão em um jogo desse", pondera o goleiro do Coritiba, Fernando.Mas a maior tranqüilidade do Coritiba pode ser fundamental no clássico. O time tem 62 pontos e, mesmo perdendo, ainda continuará entre os cinco primeiros classificados. Além disso, vem de uma boa apresentação diante do Goiás, apesar do placar de 1 a 0. "Isso é muito importante, porque (contra o Atlético) é uma partida sempre nervosa", diz o técnico Paulo Bonamigo. Se vencer, o Coritiba fecha o ano com ampla supremacia no futebol paranaense, visto já ter vencido este ano os três jogos contra o Paraná e os dois contra o Atlético.No Atlético, o técnico Mário Sérgio leva o segredo sobre a escalação até o vestiário. O zagueiro Daniel, o volante Alan Bahia e o meia-atacante Fernandinho disputam duas vagas. No último jogo, contra a Ponte Preta, Mário Sérgio utilizou Alan Bahia e Fernandinho. O time jogou bem, mas a defesa falhou e o resultado foi um empate por 2 a 2.Como o Coritiba tem no cruzamento de bolas sobre a área uma de suas principais jogadas, é provável que ele opte por Daniel na defesa. "Um clássico sempre tem muita importância, ainda mais nesta situação que estamos", diz o atacante Ilan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.