Mohammed Dabbous/Reuters
Mohammed Dabbous/Reuters

Parceiros na Copa de 2010, Felipe Melo e Daniel Alves assumem novas funções em 2020

Veteranos de 36 anos se enfrentam neste domingo, no clássico entre Palmeiras e São Paulo, em Araraquara

Ciro Campos e Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2020 | 04h30

Dois veteranos que estiveram juntos na seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010 iniciaram 2020 com novas funções. No Palmeiras, o volante Felipe Melo foi recuado para a zaga. No São Paulo, o lateral-direito Daniel Alves começou a temporada como segundo volante após ter atuado mais como meia ofensivo em 2019. Eles se enfrentam neste domingo, no clássico que será disputado em Araraquara, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

A decisão de tornar Felipe Melo zagueiro partiu do técnico Vanderlei Luxemburgo, que assumiu o comando do elenco do Palmeiras no início de 2020. O treinador conversou com o jogador de 36 anos no começo da pré-temporada e explicou os motivos da mudança.

"Quando você traz ele para trás, mais cinco metros ou dez, ele vai deixar de correr 60% do jogo. Ele vai correr só 40%. Com a inteligência, a qualidade e a força física que tem, não tenho dúvida de que ele pode se tornar um grande zagueiro", disse Luxemburgo. 

No caso de Daniel Alves, que também tem 36 anos, as mudanças vêm ocorrendo desde que ele foi contratado pelo São Paulo no meio de 2019. Tanto com Cuca quanto com Fernando Diniz, o jogador atuou em diversos lugares do campo: foi lateral-direito, meio-campista e ponta direita. No primeiro jogo oficial de 2020, na vitória sobre o Água Santa, Daniel Alves atuou mais como volante, alternando posição com Tchê Tchê. A ideia de Fernando Diniz é ter um meio de campo mais leve.

"O meio pode ser ofensivo, mas não pode deixar o time vulnerável. Mas não é por conta que, se tivesse um jogador a mais de marcação, ficaria menos. Temos que ir ajustando as peças de acordo com o sistema. Vão acontecendo erros, mas vamos corrigindo", analisou o treinador são-paulino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.