Parceria do Corinthians corre risco

A parceria entre o Corinthians e o fundo de investimento anglo-suíço MSI corre sério risco de naufragar. Pressionado por membros do Cori - Conselho de Orientação do Corinthians - o presidente Alberto Dualib deve acatar a sugestão do orgão e formar uma comissão, que terá como tarefa esclarecer pontos considerados obscuros do acordo. O grupo - a ser formado por 10 conselheiros - terá 30 dias para proceder uma rigorosa investigação a respeito da empresa e da origem do dinheiro a ser investido no clube. Só depois disso, a proposta de parceria voltará a ser discutida. A formação da comissão está sendo discutida neste momento pelos 400 conselheiros do clube. Pelo acordo anunciado pelo presidente Alberto Dualib, a MSI estaria disposta a investir, imediatamente, U$ 35 milhões no departamento de futebol do Corinthians. Mas a proposta encontra resistências. Os problemas começaram no final de semana, depois que o presidente se recusou a detalhar as cláusulas do contrato, como queriam os conselheiros. A crise foi contornada parcialmente na noite de segunda-feira, quando o dirigente, pressionado, aceitou abrir o contrato ao Cori - um órgão de caráter meramente consultivo e que poderia avalizar o não a parceria. Na reunião de Dualib com os membros do Cori - realizada um pouco antes da plenária do Conselho Deliberativo, no entanto, o presidente não foi convincente. De acordo com a ex-presidente do Corinthians, Marlene Matheus - hoje uma das mais influentes conselheiras do clube - Dualib não apresentou documentos que respaldassem um eventual acordo. Segundo ela, o clube não dispõe de informações confiáveis a respeito da empresa, nem sobre o contrato que poderia vir a ser assinado. Desta forma, disse a ex-presidente, ?o acordo não será possível?. Além do questionamento sobre a origem do dinheiro, os conselheiros temem que o acordo tenha previsão de pagar intermediários. Dualib nega, mas não apresenta provas. Querem saber, por exemplo, se o empresário Renato Duprat, que foi quem apresentou o grupo ao Corinthians, terá algum tipo de comissão. A mesma dúvida em relação à neta do presidente do clube, Carla Dualib, diretora de marketing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.