Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Phil Nole/Reuters
Phil Nole/Reuters

Paris Saint-Germain anuncia renovação de contrato com Neymar até 2025

Astro brasileiro é a aposta do time francês para conseguir conquistar a tão sonhada Liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

08 de maio de 2021 | 10h02

Chegou ao fim neste sábado pela manhã as especulações que Neymar deixaria o Paris Saint-Germain ao final da temporada. Em paz, clube e jogador prorrogaram o contrato até 2025 e aposta é que o brasileiro vai conseguir fazer o time conquistar a tão sonhada Liga dos Campeões após ficar no 'quase' nas duas últimas edições.

"Neymar 2025" foi o post do PSG anunciando um final feliz nas negociações pela renovação de contrato. Após o vice na Liga dos Campeões passada e a eliminação na semifinal há três dias, o clube tratou de mostrar que a culpa não foi do astro brasileiro, bastante criticado pela imprensa francesa, e negociou para evitar assédio dos gigantes da Europa no jogador.

O clube usou um vídeo com imagens de Neymar vibrando com a camisa do PSG e ainda o mostrou com uma camisa com o número 2025 às costas. Na França desde 2017, o brasileiro tinha vínculo até junho de 2022.

Aos 29 anos, Neymar terá mais três oportunidades para tentar fazer o sonho do PSG de conquistar a Europa se concretizar. A promessa do clube é de trazer reforços de peso para ajudá-lo nessa missão.

Com a assinatura da extensão do contrato, Neymar vai ganhar em torno de € 30 milhões (aproximadamente R$ 191 milhões) por temporada. Cada minuto de trabalho do brasileiro custará quase R$ 395,00.

Apesar da queda na Liga dos Campeões, o PSG ainda disputa dois títulos na atual temporada. Trava batalha com o Lille pelo Campeonato Francês e está na semifinal da Copa da França, na qual encara o Montpellier. A expectativa é na conquista das duas taças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.