Parmalat nega abandono do futebol

A Parmalat não pretende abandonar os seus investimentos no futebol brasileiro. Notícia veiculada por meio de sites esportivos na internet, nesta sexta-feira, davam conta de que a multinacional italiana estaria frustrada com o prejuízo de US$ 15 milhões, principalmente por causa de uma decisão da Justiça em favor do meia Alex, que conseguiu passe livre. A decisão cabe recurso. De acordo com a Assessoria de Imprensa da Parmalat no Brasil, a notícia não está confirmada. Ela nega decisão nesse sentido, de deixar o patrocínio de equipes como o Etti Jundiaí, alugado do Paulista Futebol Clube por 30 anos. O presidente do Paulista, Eduardo dos Santos Palhares, considerou o caso absurdo, que correu na internet. "Na quinta-feira, eu acertei com a diretoria da Parmalat o orçamento do Etti para 2002, para quatro campeonatos." O diretor de Futebol do Etti, Wilson Coimbra, justificou também que o contrato com o técnico Giba não havia sido fechado, porque ninguém sabia qual seria a disponibilidade financeira para 2002. "Nosso time está muito bem, ao contrário de muitos clubes brasileiros", garantiu Palhares. Segundo ele, a diretoria chegou a se reunir na Itália com os donos da Parmalat, que estão satisfeitos com o desempenho do Etti, campeão da Série A-2 do Campeonato Paulista e do Brasileiro, da Série C.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.