Parreira afirma que críticas contra Dunga são exageradas

Ex-treinador da seleção diz que não vê motivos para tanto alarde; para ele, trabalho do técnico do Brasil é bom

EFE,

12 de setembro de 2008 | 22h25

O ex-técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, afirmou nesta sexta-feira que são exageradas as críticas recebidas pelo atual comandante do Brasil, Dunga, que voltaram de forma muito forte após o decepcionante empate de quarta por 0 a 0 contra a Bolívia no Rio de Janeiro, em confronto válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão"Infelizmente há uma cultura errada da torcida e de parte da imprensa de sempre criticar o treinador. Estamos na segunda posição nas Eliminatórias e não vejo porque tanto alarde", assinalou em entrevista ao Justiça Desportiva.De acordo com o técnico, que levou a seleção à conquista do Mundial de 1994, todos os treinadores que comandam o Brasil são alvo de críticas negativas. "Considero um exagero o que estão fazendo com Dunga. Há uma reclamação exacerbada".Parreira afirmou também que a seleção fez uma boa partida contra o Chile no último domingo, quando venceu por 3 a 0 em Santiago. No entanto, reconheceu a atuação ruim diante da Bolívia três dias depois, mas mesmo assim disse que a reação foi excessiva. "Parecia que havia ocorrido uma tragédia", assinalou.Segundo ele, a melhor maneira de passar por estas turbulências é manter as convicções e seguir o trabalho como planejado.Carlos Alberto Parreira lembrou que, em 1993, quase perdeu o cargo após uma derrota para a Bolívia em La Paz. Um ano depois, conquistou o tetracampeonato nos Estados Unidos e encerrou um jejum de 24 anos do Brasil sem levantar a taça em uma Copa do Mundo.TRABALHO QUESTIONADODunga também foi duramente criticado pela imagem que a seleção deixou em outros jogos nestas Eliminatórias, como na derrota para o Paraguai em Assunção (2 a 0) e nos empates contra Colômbia (0 a 0), Peru (1 a 1) e Argentina (0 a 0).As críticas pioraram após a humilhante derrota para os argentinos por 3 a 0 na semifinal dos Jogos Olímpicos de Pequim. Na competição, o Brasil levou a medalha de bronze.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.