Parreira avisa que não libera ninguém

A hipótese de liberação de atletas para competições pelos clubes está praticamente descartada pelo técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira. Ele foi claro ao falar da necessidade de ter durante a Copa das Confederações todos os convocados. Sobre a presença de Robinho e Léo, do Santos, por quase todo mês de junho na seleção, o que desfalcaria o atual campeão brasileiro na Copa Libertadores da América, Parreira adotou um discurso que classificou de coerente. "Não pode haver liberação. Se liberar para um, os outros vão começar a querer também", disse o treinador.Em seguida, Parreira disse que a substituição de Ricardinho por Alex para a disputa da Copa das Confederações foi decidida também com o propósito de não prejudicar o Santos. "A idéia da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) foi de trazer os melhores. A princípio, não dá para liberar, não", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.