Parreira começa vestibular na seleção

Carlos Alberto Parreira desembarcou na Alemanha, neste sábado, e enclausurou a seleção brasileira em um castelinho, o Lebarch Hotel, a 20 minutos de Leverkusen. Fechou o time e deu início ao vestibular para a Copa de 2006. Quem for aprovado na Copa das Confederações, que começa quarta-feira - o Brasil estréia na quinta, contra a Grécia -, terá grandes chances de disputar o Mundial.Mesmo porque, ainda tem vagas no grupo da seleção. O terceiro goleiro, por exemplo, não está definido. Gomes, convocado paras a Copa das Confederações, Júlio Cesar (ex-Flamengo, ainda se adaptando ao futebol italiano no Regina) e até Rogério Ceni estão cotados.Nas laterais, Parreira procura reservas para Cafu e Roberto Carlos entre Cicinho, Léo, Belleti e Gilberto.E no meio-de-campo, na turma dos marcadores, também há vagas. Emerson, Zé Roberto e Juninho Pernambucano estão garantidos. Gilberto Silva, Renato e Edmilson (não foi chamado agora, mas faz parte dos eleitos do treinador) têm chances."Sei que essa Copa das Confederações é a minha grande chance de conseguir um lugar no grupo", revelou o volante Gilberto Silva. "Eu não vinha sendo convocado, fui chamado agora. Esta Copa é a minha última oportunidade. Vou fazer de tudo para ganhar a confiança definitiva do Parreira."Não é apenas Gilberto Silva que pensa assim. A maioria dos convocados por Parreira encara a competição como o passaporte definitivo para a Copa do Mundo.O problema do treinador é conciliar a observação sobre os atletas e, ao mesmo tempo, jogar a Copa das Confederações para vencer."Esta Copa das Confederações, por tudo que representa, no cenário do Mundial do ano que vem, clima, ambiente, estádios, seria um excelente campo de observação. Este é um dos nossos objetivos. Só que não podemos ficar apenas observando o desempenho dos jogadores, o Brasil tem de jogar para ser campeão", alertou Parreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.